Meteorologia

  • 28 NOVEMBRO 2021
Tempo
MIN 8º MÁX 14º

Edição

Angola vai ter Instituto de Investigação de Acidentes de Transportes

O Conselho de Ministros de Angola aprovou hoje a criação do Instituto Nacional de Investigação e Prevenção de Acidentes de Transportes (INIPAT), bem como o seu respetivo estatuto orgânico.

Angola vai ter Instituto de Investigação de Acidentes de Transportes
Notícias ao Minuto

15:11 - 24/11/21 por Lusa

Mundo Angola

De acordo com o comunicado final da reunião, orientada pelo Presidente angolano, João Lourenço, o INIPAT tem como missão fundamental investigar acidentes e incidentes que ocorram com os transportes civis aéreos, marítimos e ferroviários em Angola, sob jurisdição do Estado ou em que esteja interessado, por razões de segurança, decorrentes de compromissos regionais ou internacionais, para determinar as causas envolvidas e a prevenção de ocorrências similares.

Segundo o secretário de Estado para os Transportes Terrestres, Jorge Bengue, esta entidade vai zelar sobre a vida humana, a prevenção dos danos económicos e humanos que possam ocorrer em caso de acidentes envolvendo um destes meios de transportes.

No setor da educação, o Conselho de Ministros aprovou o Regime Jurídico da Avaliação de Desempenho dos Agentes da Educação, que vai estabelecer as regras, procedimentos e critérios para a fixação de referências do processo de avaliação de desempenho desses agentes, assim promovendo a avaliação da qualidade do serviço prestado, incentivando-os à disciplina pessoal no cumprimento de todas as tarefas profissionais quotidianas.

Em declarações à imprensa, a ministra da Educação, Luísa Grilo, sublinhou a necessidade deste instrumento "para imprimir maior rigor e imparcialidade" na avaliação do desempenho dos trabalhadores.  

"A grande inovação neste instrumento é que a partir de agora também faremos a avaliação do desempenho dos educadores de infância e dos auxiliares da ação educativa", referiu a ministra.

No domínio da energia e águas, o Conselho de Ministros aprovou igualmente o Plano geral de Desenvolvimento e Utilização dos Recursos Hídricos da bacia Hidrográfica do Rio Cuanza e o Plano Geral para a Gestão Integrada dos recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica do Rio Zambeze.

Estes dois documentos visam assegurar a utilização dos recursos hídricos nacionais de forma adequada, garantindo o desenvolvimento económico e social sustentado e a preservação do ambiente.

Leia Também: Analistas da Bloomberg reveem previsão e estimam nova recessão em Angola

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório