Meteorologia

  • 29 JUNHO 2022
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 24º

COP26: Milhares de ONG impedidas de assistir a negociações

Milhares de organizações não-governamentais (ONG) acreditadas estão impedidas de assistir às negociações da conferência mundial do clima de Glasgow, no Reino Unido, indicou hoje uma responsável da ActionAid International, uma organização contra a pobreza e injustiça.

COP26: Milhares de ONG impedidas de assistir a negociações
Notícias ao Minuto

18:51 - 03/11/21 por Lusa

Mundo COP26

Segundo Teresa Anderson, que coordena a política climática na ActionAid International, apenas quatro representantes das milhares de ONG acreditadas para a 26.ª Conferência nas Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP26), que decorre até 12 de novembro na cidade escocesa de Glasgow, foram autorizados a acompanhar as negociações.

"Impedir a sociedade civil de vigiar e responsabilizar os governos pode ter consequências reais para as comunidades na linha da frente da crise climática que estão a sofrer", afirmou, citada pela agência noticiosa francesa AFP.

Segundo as regras da Convenção das Nações Unidas para as Alterações Climáticas, as organizações da sociedade civil podem assistir às reuniões mundiais sobre o clima enquanto observadores, inclusive nas salas onde decorrem as negociações, para permitir a transparência do processo.

A COP26 foi adiada um ano devido à pandemia da covid-19, que impõe agora restrições no acesso à cimeira.

O presidente da COP26, Alok Sharma, tem reiterado que quer uma conferência "o mais inclusiva possível".

Contudo, há peritos que acabam por deslocar-se a Glasgow para assistir apenas a reuniões e conferências de imprensa virtuais.

"É um desastre ver a sociedade civil a não ter acesso a reuniões cruciais, e muitos dos seus representantes nem mesmo podem entrar no local da COP", disse à AFP Mohamed Adow, da organização Power Shift Africa.

De acordo com o jurista do Centro de Direito Ambiental Internacional Sebastien Duyck, "as restrições da covid-19 não podem justificar o facto de a rede [das ONG] não ter acesso às negociações".

Desde que começou a COP26, no domingo, os delegados aguardam a sua vez para entrar em longas filas, por vezes durante mais de uma hora, por causa dos controlos de segurança sanitária.

Um porta-voz do primeiro-ministro britânico Boris Johnson assegurou que os organizadores da cimeira "fazem tudo o que é possível para garantir que tudo corre bem".

Mais de 120 líderes políticos e milhares de especialistas, ativistas e decisores públicos reúnem-se até 12 de novembro em Glasgow, na COP26, para atualizar os contributos dos países para a redução das emissões de gases com efeito de estufa até 2030.

A COP26 acontece cerca de seis anos após o Acordo de Paris, que estabeleceu como meta limitar o aumento da temperatura média global do planeta entre 1,5ºC e 2ºC acima dos valores da época pré-industrial.

Apesar dos compromissos assumidos, as concentrações de gases com efeito de estufa atingiram níveis recorde em 2020, mesmo com a desaceleração económica provocada pela pandemia da covid-19, segundo a ONU, que estima que ao atual ritmo de emissões as temperaturas serão no final do século superiores em 2,7ºC.

Leia Também: Navio de ONG francesa resgata 139 pessoas nas últimas 24 horas

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório