Meteorologia

  • 05 DEZEMBRO 2021
Tempo
11º
MIN 11º MÁX 16º

Edição

Polícia que violou e matou Sarah Everard recorre de pena de perpétua

O polícia britânico condenado a prisão perpétua pelo assassínio da londrina Sarah Everard, num drama que abalou o Reino Unido, recorreu hoje da sua condenação.

Polícia que violou e matou Sarah Everard recorre de pena de perpétua

"Foi apresentado um pedido" de recurso da sentença, disse um porta-voz do Tribunal de Recurso de Londres, citado pela agência francesa de notícias AFP.

Na noite de 03 de março, Wayne Couzens, de 48 anos, usou a sua identificação como polícia para deter a mulher, de 33 anos, quando esta voltava para casa, no sul de Londres.

Couzens acusou-a de incumprimento das regras de confinamento (imposto no âmbito da pandemia de covid-19), algemou-a e fê-la entrar no seu carro, onde a violou e estrangulou antes de incendiar o seu corpo num bosque a uma hora e meia de Londres de Londres.

O polícia foi condenado, em 30 de setembro, a prisão perpétua, sem possibilidade de libertação, uma decisão excecional no Reino Unido, já que habitualmente é aplicada apenas em casos de terrorismo.

Ao ler o veredicto, o juiz, Adrian Fulford, sublinhou "o abuso do papel de polícia" neste crime, que teve "circunstâncias particularmente brutais".

O caso tem provocado agitação no Reino Unido e levou muitas mulheres a falar sobre os seus sentimentos de insegurança.

Leia Também: Everard: Mulheres devem estar "informadas". Chefe de polícia retrata-se

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório