Meteorologia

  • 02 DEZEMBRO 2021
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 14º

Edição

Tribunal Eleitoral com três votos contra cassação do mandato de Bolsonaro

Três juízes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) brasileiro votaram na terça-feira contra a cassação dos mandatos do Presidente e do seu vice-presidente Hamilton Mourão, por alegadas irregularidades na campanha presidencial de 2018.

Tribunal Eleitoral com três votos contra cassação do mandato de Bolsonaro
Notícias ao Minuto

06:27 - 27/10/21 por Lusa

Mundo Brasil

A acusação foi feita pela coligação Brasil Feliz de Novo, liderada pelo Partido dos Trabalhadores (PT), que saiu derrotado das presidenciais de 2018, e refere-se a um alegado envio de mensagens em massa nas redes sociais para favorecer a campanha eleitoral de 2018 do atual Presidente, Jair Bolsonaro.

Na sessão desta terça-feira, três magistrados do TSE votaram para arquivar os dois processos que pedem a cassação dos mandatos, mas a sessão acabou suspensa, sendo retomada na próxima quinta-feira, quando os restantes quatros juízes vão apresentar os seus votos.

De acordo com o relator, juiz Luís Felipe Salomão, não há elementos que permitam firmar, com segurança, a gravidade dos factos, requisito indispensável para a caracterização do abuso de poder económico e do uso indevido dos meios de comunicação social para o envio de mensagens em massa, apesar de afirmar que ocorreu o uso indevido da plataforma WhatsApp para atacar adversários políticos.

"Inúmeras provas de natureza documental e testemunhal corroboram a assertiva de que, no mínimo desde 2017, pessoas próximas ao hoje Presidente atuavam de modo permanente, amplo e constante na mobilização digital de eleitores, tendo como 'modus operandi' ataque a adversários políticos a candidatos e, mais recentemente, às próprias instituições democráticas. Essa mobilização que se pode aferir sem maior dificuldade vem ocorrendo ao longo do ano em diversos meio digitais", afirmou o juiz, citado pela imprensa local.

Contudo, o magistrado entendeu não existirem provas de que esses envios de mensagens foram decisivos para desequilibrar as eleições de 2018.

O voto do relator foi acompanhado pelos magistrados Mauro Campbell Marques e Sérgio Banhos.

As duas ações tramitam no TSE há mais de três anos e foram entregues como base em reportagens do jornal Folha de S.Paulo, que mostraram o uso de disparos em massa de mensagens no Whatsapp finaciado por empresários, visando prejudicar a candidatura de Fernando Haddad (PT) à Presidência do Brasil.

Na terça-feira, Jair Bolsonaro ironizou com o julgamento das duas ações que pedem a cassação do seu mandato e afirmou que "só Deus" o tira da Presidência.

"Nós temos um bem maior que a nossa própria vida e todos nós um dia partiremos. Mas não existe vida sem liberdade. Olha o que vem acontecendo no Brasil. Pessoas que têm perdido a sua liberdade por opinião. Hoje nós falamos: 'Não é comigo'. É com todos nós. Vai chegar o momento. Algo vai acontecer", começou por dizer o mandatário durante um culto em comemoração dos 106 anos da Assembleia de Deus.

"Hoje [terça-feira]começa o julgamento da cassação (...). Sabe qual é a acusação? (...) Não tem nenhuma acusação de corrupção, enriquecimento ilícito, nada. A acusação é 'fake news'. (Que) Eu menti durante a campanha. Se eu tivesse mentido contra aquele candidato do PT, eu teria que falar que o candidato do PT defende a família. Aí eu estaria mentindo. O candidato do PT é contra o aborto. Estaria mentindo. O candidato do PT é contra a liberação das drogas. Estaria mentindo", acrescentou.

Leia Também: Oposição celebra aprovação de relatório e pede destituição de Bolsonaro

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório