Meteorologia

  • 02 DEZEMBRO 2021
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 14º

Edição

EUA pedem ao mundo que apoie participação robusta de Taiwan na ONU

Os Estados Unidos apelaram hoje ao resto do mundo para que "apoie uma participação significativa e robusta de Taiwan" nas instituições da ONU, apesar da resistência da China.

EUA pedem ao mundo que apoie participação robusta de Taiwan na ONU

"Taiwan é um parceiro crucial dos Estados Unidos e um sucesso democrático", disse o ministro dos Negócios Estrangeiros dos Estados Unidos, Antony Blinken, garantindo que a contribuição da ilha é necessária para lidar com "um número sem precedentes de desafios mundiais".

O Presidente dos Estados Unidos afirmou, na quinta-feira passada, que o país está preparado para defender militarmente Taiwan, em caso de ataque da China, um dia depois de o próximo embaixador norte-americano em Pequim, Nicholas Burns, ter recomendado aumentar a venda de armas à ilha para reforçar as defesas, avisando que "não se pode confiar na China"

Pequim reagiu quase de imediato, tendo o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Wang Wenbin, reafirmado a alegação de longa data da China de que a ilha é parte do seu território.

"Quando se trata de questões relacionadas com a soberania e integridade territorial da China, e outros interesses fundamentais, não há espaço para a China fazer concessões, e ninguém deve subestimar a forte determinação, vontade e capacidade do povo chinês para defender a soberania nacional e integridade territorial", realçou Wang.

"Taiwan é parte inalienável do território da China. A questão de Taiwan é puramente um assunto interno da China, que não permite intervenção estrangeira", disse.

China e Taiwan vivem como dois territórios autónomos desde 1949, altura em que o antigo Governo nacionalista chinês se refugiou na ilha, após a derrota na guerra civil frente aos comunistas.

Pequim considera Taiwan parte do seu território e ameaça a reunificação através da força, caso a ilha declare formalmente a independência.

Em 1979, os Estados Unidos romperam relações diplomáticas com Taipé para reconhecer o Governo comunista baseado em Pequim como o único representante da China. Mas continuaram a ser o principal aliado e fornecedor de armas para o território.

Os EUA não contestam abertamente a reivindicação da China, mas estão comprometidos por lei a garantir que o território tem capacidade para se defender.

Sob a liderança do Presidente Xi Jinping, que também é líder do Partido Comunista e chefe das forças armadas, a China tem intensificado a pressão militar, diplomática e económica sobre Taiwan.

Por seu lado, os EUA reforçaram o seu apoio a Taiwan através da venda de armamento.

Leia Também: EUA garante apoio a Taiwan mas recusa especular em caso de invasão

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório