Meteorologia

  • 04 DEZEMBRO 2021
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 17º

Edição

Ex-ministro da Saúde sul-africano acusado de corrupção recorre à Justiça

O ex-ministro da Saúde sul-africano Zweli Mkhize interpôs uma ação judicial contra a Unidade de Investigações Especiais (SIU) devido ao relatório condenatório sobre corrupção no Ministério da Saúde com verbas para o combate à Covid-19.

Ex-ministro da Saúde sul-africano acusado de corrupção recorre à Justiça
Notícias ao Minuto

11:26 - 20/10/21 por Lusa

Mundo Zweli Mkhize

De acordo com a imprensa sul-africana, Mkhize requereu o parecer do Tribunal Superior de Joanesburgo sobre as conclusões da investigação aos contratos irregulares multimilionários com a empresa de comunicação Digital Vibes.

O antigo governante, que foi elogiado pelo Presidente da República Cyril Ramaphosa pelo seu trabalho como ministro na luta contra a pandemia na África do Sul, mas foi forçado a demitir-se em agosto, também quer que o tribunal declare a investigação "ilegal" e "inconstitucional".

O relatório da SIU, divulgado no final do mês passado, concluiu que Mkhize, a sua família e alguns dos seus associados mais próximos beneficiaram com os contratos governamentais que se destinavam, oficialmente, a financiar campanhas de sensibilização para combater a pandemia da covid-19.

No seu relatório, a SIU, salienta que as verbas irregulares ascendem a 150 milhões de rands (8,8 milhões de euros), segundo a imprensa sul-africana.

Os investigadores instaram ainda o Presidente Cyril Ramaphosa a impor sanções ao seu amigo e ex-ministro, apelando também à acusação do antigo diretor-geral do Ministério da Saúde, Anton Pillay.

Antigo tesoureiro e membro da direção nacional do Congresso Nacional Africano, o partido no poder na África do Sul desde 1994, Zweli Mkhize demitiu-se do cargo de ministro da Saúde em 05 de agosto, minutos antes de Cyril Ramaphosa anunciar uma remodelação governamental na sequência dos tumultos e violência, em julho, que causou pelo menos 330 mortos no país.

O Presidente Ramaphosa prometeu combater a corrupção endémica no histórico ANC governamental quando sucedeu ao Presidente Jacob Zuma, em 2018, que foi forçado a sair por uma série de escândalos de corrupção ao mais alto nível do Estado.

Leia Também: Investigadores pedem sanções contra ex-ministro por corrupção

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório