Meteorologia

  • 16 OUTUBRO 2021
Tempo
24º
MIN 15º MÁX 27º

Edição

"Momento mágico". Acasalamento de garoupas vence concurso de fotografia

Fotógrafo francês captou momento de acasalamento entre garoupas camufladas. Imagem valeu-lhe a conquista de Fotógrafo da Vida Selvagem do ano (Wildlife Photographer of the Year).

"Momento mágico". Acasalamento de garoupas vence concurso de fotografia

O francês Laurent Ballesta precisou de cerca de 3 mil horas para captar um momento raro e que agora lhe valeu a conquista do título de Fotógrafo Vida Selvagem do ano (Wildlife Photographer of the Year). A imagem captada mostra o acasalamento entre garoupas camufladas, algo que acontece uma vez por ano, em julho, e em plena lua cheia. 

A fotografia foi captada na lagoa em Fakarava, na Polinésia Francesa, um local que Laurent e a sua equipa já frequentavam há cinco anos, durante a época de acasalamento destes animais. 

"É surpreendente, enérgico e intrigante e tem uma beleza sobrenatural. Também capta um momento mágico", disse o júri presidente Roz Kidman Cox para quem vê na imagem vencedora "uma criação de vida verdadeiramente explosiva" com um ponto de interrogação simbólico criado pelos ovos. 

Nos últimos anos, os pescadores começaram a procurar locais de desova, causando uma queda acentuada no número de garoupas. As populações de garoupa camuflada estão globalmente ameaçadas e integram agora a lista vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN).

Organizado pelo Museu de História Natural de Londres, a 57.ª edição do concurso teve 50 mil inscrições de 95 países. 

"No que poderia ser um ano crucial para o planeta, com discussões vitais na COP 15 [ Convenção das Nações Unidas sobre Diversidade Biológica] e na COP 26 [Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas], a 'Criação' de Laurent Ballesta é um lembrete convincente do que podemos perder se não resolvermos o impacto da humanidade no nosso Planeta. A proteção dada a esta espécie ameaçada destaca a diferença positiva que podemos fazer", sublinhou o diretor do Museu, Doug Gurr, em comunicado. 

Vidyun R Hebbar, de apenas 10 anos, venceu o prémio na categoria de Fotógrafo Vida Selvagem jovem com uma fotografia de uma aranha. "É uma maneira muito criativa de fotografar uma aranha. A imagem está perfeitamente enquadrada, o foco está no local. Mas a parte realmente inteligente é o pano de fundo criativo", analisou o júri. 

A partir de sexta-feira, dia 15, estas e outras 98 fotografias da vida selvagem estarão em exposição no Museu da História Natural, até ao dia 5 de junho de 2022. 

Leia Também: Mais de uma centena de obras de Joakim Eskildsen em exposição em Lisboa

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório