Meteorologia

  • 30 NOVEMBRO 2021
Tempo
MIN 7º MÁX 12º

Edição

Resposta britânica foi "dos mais importantes falhanços da saúde pública"

Um relatório dos deputados do Reino Unido concluiu que o atraso na introdução do confinamento custou vidas. "É agora claro que esta foi a política errada", sublinha o documento.

Resposta britânica foi "dos mais importantes falhanços da saúde pública"

Uma comissão de deputados do Reino Unido composta por deputados de todos os partidos com assento no parlamento britânico divulgou esta terça-feira um relatório sobre o impacto da pandemia de coronavírus. 

Intitulado ‘Coronavírus: Lições aprendidas até à data’, o documento frisa que a resposta inicial do Reino Unido à Covid-19 foi “um dos mais importantes falhanços da saúde pública” de sempre, segundo a BBC.

O relatório conclui que a abordagem do governo, apoiada por cientistas, de tentar gerir a situação e atingir a imunidade de grupo levou ao atraso na introdução do confinamento, o que custou vidas.

O relatório centra-se principalmente na resposta à pandemia em Inglaterra, não tendo em conta as medidas individuais da Escócia, do País de Gales e da Irlanda do Norte.

O documento de 150 páginas considera que foi feito muito pouco nas primeiras semanas para travar a propagação do SARS-CoV-2, apesar das provas de países como a China ou a Itália de que o vírus é altamente contagioso. “O véu de ignorância através do qual o Reino Unido viu as primeiras semanas da pandemia foi em parte autoinfligido”, constata o relatório.

Jeremy Hunt, presidente da comissão de Saúde e de Assistência Social que elaborou o relatório, disse que houve um “fatalismo de que era provável que no final essa seria a única forma para conseguirmos travar o progresso do vírus”, referindo-se à ideia da imunidade de grupo.

Convém lembrar que os primeiros casos de Covid-19 foram registados no Reino Unido no 31 de janeiro do ano passado, e que o conselho dos cientistas ao governo relativamente ao confinamento só mudou no dia 16 de março de 2020. O confinamento foi imposto uma semana depois, a 23 de março.

É agora claro que esta foi a política errada, e que levou inicialmente a um número de mortes mais elevado do que teria resultado de uma política mais empática. Numa pandemia a espalhar-se rapidamente e exponencialmente, todas as semanas contavam”, salienta o relatório.

Mas o documento também destaca o sucesso no programa de vacinação britânico, descrevendo toda a abordagem – desde a pesquisa e desenvolvimento à administração das vacinas – como “uma das mais eficientes iniciativas na história do Reino Unido”.

Leia Também: AO MINUTO: Gouveia e Melo ouvido na AR; Fátima com 'ar' de pré-pandemia

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório