Meteorologia

  • 20 OUTUBRO 2021
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 26º

Edição

França felicita opção na Alemanha pela "moderação e estabilidade"

O secretário de Estado francês para os Assuntos Europeus, Clément Beaune, felicitou os alemães por terem optado pela "moderação e estabilidade" nas eleições legislativas de domingo na Alemanha.

França felicita opção na Alemanha pela "moderação e estabilidade"
Notícias ao Minuto

12:45 - 27/09/21 por Lusa

Mundo Clément Beaune

Clément Beaune felicitou hoje os alemães que optaram, nas eleições legislativas - vencidas pelo social-democrata Scholz, que vai liderar o executivo alemão -, pela "moderação e estabilidade" e ainda que, "em certa medida", apoiaram as políticas da ainda chanceler alemã, Angela Merkel, (da coligação conservadora CDU-CSU).

Beaune sublinhou, numa entrevista ao canal de televisão France 3, que as três formações que ocuparam os três primeiros cargos nas eleições de domingo, os social-democratas (SPD), o bloco conservador CDU-CSU e os Verdes, têm uma posição "europeísta" assumida.

O político francês negou que a derrota dos conservadores signifique um revés para a política de Merkel, já que o candidato do SPD, Olaf Scholz, é o vice-chanceler do atual Governo alemão.

Durante a campanha, segundo Beaune, Scholz teria seguido os passos de Merkel, afirmando que se conseguisse a liderança do novo executivo, este seria marcado pela continuidade.

Beaune acrescentou que o bloco conservador, na segunda posição, também insistiu no seu desejo de continuidade, indicando, "até certo ponto, que os alemães votaram em Angela Merkel".

Questionado se tem uma coligação favorita para a formação do futuro Governo alemão, o secretário de Estado francês disse que não.

No entanto, posteriormente reconheceu que o executivo francês mantém algumas diferenças para com os Verdes alemães, em particular no que diz respeito à consideração da energia nuclear como energia "verde" na taxonomia que é negociada na União Europeia.

De acordo com a contagem dos votos das eleições de domingo, o SPD conseguiu 25,7% dos votos, o melhor resultado desde a eleição de Gerard Schroder, mas, mesmo assim, vai precisar necessariamente de uma coligação de pelo menos três partidos para poder governar.

A CDU-CSU sofreu a pior derrota desde 1949, alcançando apenas 24,1% dos votos, o que corresponde a uma queda de 9% em comparação com as legislativas de 2017.

Atrás do SPD e da CDU, que governam alternadamente o país desde 1949, juntas ou como forças coligadas, estão os Verdes com 14,8% dos votos e os liberais do FDP com 11,5%.

Leia Também: Scholz diz que quer negociar com os Verdes e o FDP para próximo Governo

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório