Meteorologia

  • 16 OUTUBRO 2021
Tempo
18º
MIN 15º MÁX 27º

Edição

Fragata britânica HMS Richmond anuncia passagem pelo Estreito de Taiwan

A fragata britânica HMS Richmond anunciou hoje que atravessou o Estreito de Taiwan, travessia rara para navios de guerra europeus, mas parte de manobras realizadas pela Marinha Real britânica na cada vez mais estratégica região do Indo-Pacífico.

Fragata britânica HMS Richmond anuncia passagem pelo Estreito de Taiwan
Notícias ao Minuto

09:50 - 27/09/21 por Lusa

Mundo Estreito de Taiwan

"Depois de trabalharmos com os nossos aliados e parceiros no Mar do Leste da China, estamos agora a atravessar o Estreito de Taiwan, em direção ao Vietname, para visitar a Marinha Popular do Vietname", afirmaram os responsáveis da fragata, através da na rede social Twitter.

Não é comum que navios britânicos, ou de outros países europeus, naveguem pelo estreito que separa Taiwan da China. Navios norte-americanos, incluindo porta-aviões, realizam frequentemente manobras naquela região, provocando protestos por parte da China.

Liderada pelo porta-aviões HMS 'Queen Elizabeth', a frota britânica iniciou uma expedição, em maio passado, de 26.000 milhas náuticas, que inclui visitas a mais de 40 países, com o objetivo de "aumentar a influência do Reino Unido na região e o seu papel na agenda da segurança global", de acordo com Londres.

A expedição britânica visa fortalecer os laços militares e políticos com os seus parceiros da região, incluindo o Japão, Coreia do Sul, Singapura e Índia.

A passagem do HMS Richmond pelo Estreito de Taiwan ocorre após os Estados Unidos, Reino Unido e Austrália revelarem uma nova aliança estratégica, designada AUKUS, que inclui a venda de submarinos nucleares à Austrália.

A China reagiu duramente contra o novo pacto, acusando os três países de "minarem a paz na região" e "intensificarem a corrida armamentista".

A passagem da fragata ocorre uma semana depois de o almirante britânico Tony Radakin garantir que o Estreito de Taiwan são "águas internacionais", que podem ser usadas "por qualquer nação e não apenas pela China".

A agência noticiosa da ilha, a CNA, disse hoje que o ministro da Defesa de Taiwan, Chiu Kuo-cheng, não estava "ciente" da missão britânica.

Chiu acrescentou que Taiwan precisa de "armamento preciso e de longo alcance" para poder enfrentar a China.

As relações entre Pequim e Taipé atravessam um período de renovadas tensões, após a ilha ter solicitado a adesão ao Acordo Progressivo e Abrangente para a Parceria Transpacífica (CPTPP), ao que Pequim se opôs "categoricamente".

A China reivindica a soberania de Taiwan, que considera uma província sua, não descartando a reunificação através do uso da força. Taiwan é governada de forma autónoma, desde o fim da guerra civil chinesa entre comunistas e nacionalistas, sob o nome República da China.

Leia Também: Fragata Corte-Real partiu rumo ao Mar Báltico para ajudar a NATO

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório