Meteorologia

  • 21 FEVEREIRO 2024
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 20º

Soldado jordano da guerra de 1967 enterrado em Jerusalém

Um soldado jordano morto na guerra de 1967 no Médio Oriente teve hoje um funeral militar e ficou sepultado em Jerusalém Oriental, caso singular que sinaliza a melhoria dos laços entre Israel e a Jordânia após anos de tensões.

Soldado jordano da guerra de 1967 enterrado em Jerusalém
Notícias ao Minuto

17:19 - 06/09/21 por Lusa

Mundo Médio Oriente

O corpo do soldado foi descoberto no mês passado durante obras em Ammunition Hill, o local de uma famosa batalha entre forças israelitas e jordanas.

As orações fúnebres realizaram-se na mesquita de Al-Aqsa e uma guarda de honra jordana transportou o caixão para um cemitério islâmico nas proximidades. Além de militares e responsáveis do Governo jordano, participaram no funeral representantes palestinianos.

Israel conquistou Jerusalém Oriental e a Cisjordânia à Jordânia em 1967, na designada Guerra dos Seis Dias. Os palestinianos querem que ambos os territórios integrem o Estado a que aspiram, posição apoiada por Amã.

O reino hachemita desistiu das suas reivindicações territoriais há décadas, mas continua a ser o guardião de Al-Aqsa, o terceiro lugar mais sagrado do islão, e de outros locais religiosos em Jerusalém Oriental.

Israel anexou posteriormente Jerusalém Oriental e considera toda a cidade como a sua capital indivisível, o que não é reconhecido pela lei internacional.

Jerusalém e os seus locais sagrados, também para os judeus e os cristãos, têm estado no centro do conflito israelo-palestiniano e ainda recentemente ajudaram a desencadear a guerra de 11 dias entre Israel e o movimento islâmico palestiniano Hamas, que controla o enclave da Faixa de Gaza.

Israel e a Jordânia assinaram um acordo de paz em 1994 e mantêm laços estreitos ao nível da segurança, mas as tensões devido a Jerusalém e ao impasse no processo de paz com os palestinianos aumentaram durante os 12 anos de governo do primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu, que foi substituído em junho.

O novo Governo do Estado hebreu tem tentado melhorar as relações com o reino hachemita.

O primeiro-ministro, Naftali Bennett, encontrou-se em segredo com o Rei da Jordânia, Abdullah II, há menos de dois meses e, na semana passada, os dois países assinaram acordos sobre água e comércio.

Na mesma semana, o novo Presidente de Israel, Isaac Herzog, reuniu-se com o Rei jordano no seu palácio em Amã, a capital da Jordânia.

Leia Também: Covid-19: OMC pede "caminho sustentável" para recuperação económica

Recomendados para si

;
Campo obrigatório