Meteorologia

  • 23 OUTUBRO 2021
Tempo
25º
MIN 13º MÁX 25º

Edição

Cancro: Morreu aos 27 anos mulher cujo diagnóstico foi adiado pela Covid

Covid-19 adiou o diagnóstico da doença que acabaria por lhe 'roubar' a vida.

Cancro: Morreu aos 27 anos mulher cujo diagnóstico foi adiado pela Covid

Olatz  Vázquez  foi diagnosticada com um cancro no estômago em junho de 2020. A jornalista espanhola usou as redes sociais para partilhar a sua luta contra a doença, luta essa que acabou na madrugada desta sexta-feira. A mulher, de 27 anos, sucumbiu à doença.

A história de Olatz passou a ser a história de todos os que passaram a acompanhar a sua batalha nas redes sociais e que viveram com ela todas as mudanças associadas à doença e provocadas pelos tratamentos.

Foi através desta plataforma que partilhou os seus medos e que se mostrou indignada pela Covid-19 ter atrasado o seu diagnóstico. 

Olatz foi pela primeira vez ao médico no início de 2020, queixando-se de dores no abdómen. Na altura, foi-lhe dito que não era nada de grave. Disseram-lhe que era jovem e que era provavelmente um caso de doença celíaca, gastrite ou uma úlcera. Num dos seus tweets, a jornalista revelou até que lhe foi recomendado ir ao ginecologista porque talvez "estivesse a confundir dores abdominais com dores menstruais".

Em fevereiro de 2020, Olatz decidiu tirar uma licença por doença e mudou-se para o País Basco. Após análises ao sangue, foi-lhe dito que tinham detetado um pouco de anemia e B-12 baixo, o que os médicos consideraram "nada de relevante". Mais tarde, foi-lhe agendada uma gastroscopia, exame médico que foi adiado devido à chegada da Covid-19. Os médicos informaram-na que não padecia de nenhuma doença grave e que perante a emergência da Covid, esta ficaria para segundo plano.

Quando em junho lhe realizaram, finalmente, o exame em causa vinha o diagnostico: "várias úlceras tumorais" no estômago. 

A partir deste momento, a jovem - também fotógrafa - decidiu partilhar a sua luta nas redes sociais, plataforma que serviu de espaço de desabafo para a sua indignação. Olatz quis ser o rosto dos muitos doentes que viram os seus tratamentos médicos e diagnósticos adiados, devido à pandemia.

A jornalista lutou incansavelmente contra a doença, até ao início da manhã desta sexta-feira, refere o La Vanguardia.

Leia Também: Oito condições que fazem com que vacina seja menos eficaz, revela estudo

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório