Meteorologia

  • 24 SETEMBRO 2021
Tempo
17º
MIN 15º MÁX 23º

Edição

Washington exorta Teerão a retomar "rapidamente" negociações

Os Estados Unidos exortaram hoje o novo Presidente iraniano, Ebrahim Raïssi, a retomar "rapidamente" as negociações sobre o programa nuclear iraniano, suspensas nas últimas semanas. 

Washington exorta Teerão a retomar "rapidamente" negociações

"Para nós, esta é uma prioridade urgente. Este processo não pode continuar indefinidamente", disse o porta-voz da diplomacia norte-americana, Ned Price, aos jornalistas, recusando-se, porém, a apresentar a declaração como um ultimato.

"Exortamos o Irão a retornar à mesa de negociações rapidamente para tentar concluir o nosso trabalho. A nossa mensagem para o Presidente Raissi é a mesma que enviámos ao seu antecessor: Esperamos que o Irão agora aproveite a oportunidade para encontrar soluções diplomáticas", sublinhou Price.

O novo Presidente iraniano, ultraconservador, foi empossado hoje perante o parlamento, onde afirmou que estava aberto a "qualquer plano diplomático" para o levantamento das sanções, sobretudo norte-americanas, que prejudicam a economia do país.

No entanto, Raissi avisou que o Irão não cederá a "pressão e sanções".

Por seu lado, o Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse estar pronto para regressar ao acordo de 2015, que deveria impedir Teerão de adquirir a bomba atómica.

A saída dos Estados Unidos do acordo foi concretizada em 2018 pelo ex-Presidente norte-americano, Donald Trump, considerando que o Irão deveria respeitar as restrições ao seu programa nuclear. 

Para salvar este texto, Washington terá de levantar as sanções contra o Irão, suspensas em 2015, mas restabelecidas na era Trump.

A República Islâmica assinou, em Viena, em 2015, um Plano de Ação Conjunto Global (PAGC, JCPOA em inglês) com o grupo 5 + 1 (China, Estados Unidos, França, Reino Unido, Rússia e Alemanha) no qual aceitou conter drasticamente as suas atividades nucleares em troca da flexibilização das sanções internacionais contra o país.

Este pacto esteve prestes a ser completamente rasgado quando Trump retirou unilateralmente o país do acordo, em maio de 2018, e restaurou sanções que mergulharam a República Islâmica numa recessão profunda.

Em resposta, o Irão deixou de cumprir, a partir de maio de 2019, a maioria dos principais compromissos assumidos em Viena.

Apesar das críticas dos ultraconservadores iranianos, Rohani reiterou a sua vontade de resolver diplomaticamente a crise causada pela saída dos Estados Unidos do acordo de Viena, dizendo que estava decidido a não perder "a oportunidade" que representa a mudança de Presidente de Donald Trump para Joe Biden.

O então Presidente do Irão admitiu que as sanções dos Estados Unidos dificultaram a compra de medicamentos e material de saúde ao estrangeiro, incluindo as vacinas contra a covid-19, necessárias para conter o pior surto do Médio Oriente.

A administração Trump impôs sanções que paralisaram a indústria - vital para o Irão - do petróleo e gás, mas também o setor bancário.

Devido à retirada unilateral em 2018 dos Estados Unidos do acordo de 2015, e à reposição de sanções, o Irão começou a violar alguns dos compromissos nucleares assumidos para pressionar os países europeus a garantir as suas vantagens económicas.

Segundo o dirigente do programa nuclear iraniano, o país passou a operar o dobro das centrifugadoras avançadas relativamente ao que Teerão assumia ter.

Uma centrifugadora IR-6 consegue produzir urânio 10 vezes mais depressa do que a primeira geração desta tecnologia (as IR-1), as únicas permitidas pelo pacto nuclear de 2015.

O acordo de 2015 prevê limitações técnicas significativas no programa nuclear do Irão -- como a quantidade de centrifugadoras para produção de urânio a utilizar por Teerão - para impedir que o país detenha bombas atómicas.

Leia Também: EUA alertam que China está a construir mais silos de mísseis nucleares

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório