Meteorologia

  • 23 JANEIRO 2022
Tempo
MIN 6º MÁX 14º

Edição

Covid. Ibiza quer 'detetives' estrangeiros para se infiltrarem em festas

Ao descobrirem uma festa que não esteja a cumprir as regras, a intenção é denunciá-la à polícia. 

Covid. Ibiza quer 'detetives' estrangeiros para se infiltrarem em festas

Ibiza pretende recrutar 'detetives' de nacionalidades estrangeiras para que estes se infiltrem em festas. O objetivo? Combater a pandemia da Covid-19. 

As autoridades da ilha espanhola querem, indica o The Guardian, juntar um 'esquadrão' que seja capaz de se infiltrar nas celebrações que estão a violar os regulamentos locais no que à pandemia diz respeito. Ao descobrirem uma festa que não esteja a cumprir as regras, devem denunciá-la à polícia. 

Para tal, Ibiza procura estrangeiros entre os 30 e os 40 anos que, basicamente, estejam 'livres' para irem participar em festas num destino bastante procurado por espanhóis e turistas.

Esta ideia surgiu, explica a mesma publicação, uma vez que, com a maioria das discotecas fechadas - excluindo as que têm capacidade de realizar eventos ao ar livre - e com os restaurantes 'limitados' a pequenos ajuntamentos, "as autoridades culpam as festas ilegais pelo aumento de casos". 

Calcula-se que estas ocorram em casas particulares e sejam marcadas através das redes sociais. 

O Ministério da Saúde espanhol referiu, esta segunda-feira, que foram diagnosticados 55.939 novos contágios e morreram mais 157 pessoas desde a passada sexta-feira. Espanha totaliza 4.502.983 casos positivos e 81.643 óbitos.

A incidência acumulada desceu para 673,5 casos por 100 mil habitantes. As Baleares são a região espanhola com a taxa de contágios mais elevada, 936 casos por 100 mil habitantes. 

Leia Também: Incidência a estabilizar em Espanha, mas pressão hospitalar aumenta

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório