Meteorologia

  • 28 NOVEMBRO 2021
Tempo
MIN 8º MÁX 14º

Edição

Edifício da ONU atacado no Afeganistão. Um polícia afegão morto

As instalações da ONU foram hoje atacadas em Herat, cidade do oeste do Afeganistão em torno da qual combatem talibãs e forças afegãs, segundo a missão da ONU no país, que condenou o ataque que matou um polícia afegão.

Edifício da ONU atacado no Afeganistão. Um polícia afegão morto

"Este ataque contra a entrada de um edifício das Nações Unidas claramente identificado foi perpetrado por elementos antigovernamentais", indicou a missão, UNAMA, em comunicado, precisando que o ataque vitimou um agente policial afegão que guardava o edifício e feriu vários outros.

A entrada das instalações foi alvo de disparos de foguetes e de armas de fogo, prosseguiu a UNAMA, acrescentando que nenhum funcionário da ONU ficou ferido.

A zona onde se situam os escritórios atacados foi hoje palco de combates entre talibãs e forças governamentais.

"Este ataque contra as Nações Unidas é lamentável, e condenamo-lo nos termos mais veementes", declarou Deborah Lyons, representante especial do secretário-geral da ONU no Afeganistão e chefe da UNAMA, citada em comunicado.

"Aqueles que cometeram este ataque devem ser identificados e prestar contas", sublinhou a responsável.

Os ataques ao pessoal civil e às instalações da ONU são proibidos pelo Direito Internacional e podem ser considerados crimes de guerra, recordou a UNAMA, prestando também homenagem aos guardas afegãos que defenderam o edifício das Nações Unidas dos agressores.

Muitos habitantes de Herat fugiram hoje da periferia da cidade, onde se intensificam os combates entre forças afegãs e os talibãs, que estão a aproximar-se dos limites da cidade de 600.000 habitantes, a terceira do país em termos de população.

Os talibãs apoderaram-se recentemente de vários distritos da província de Herat, bem como de dois postos fronteiriços aí situados: o de Islam Qala, o principal ponto de passagem com o Irão, e o de Torghundi, com o Turquemenistão.

Segundo um correspondente da agência noticiosa francesa AFP no terreno, as forças afegãs e as milícias de Ismail Khan, um poderoso senhor da guerra local que é contra os talibãs, estão estacionadas em torno de Herat.

Os talibãs lançaram no início de maio uma ofensiva de grande envergadura contra as forças afegãs, graças à retirada definitiva -- agora, quase concluída -- dos 10.000 soldados da NATO, dos quais 2.500 norte-americanos, do Afeganistão.

Em três meses, os talibãs tomaram vastas zonas essencialmente rurais do país, perante forças governamentais que até agora ofereceram pouca resistência e já só controlam as capitais provinciais e a maioria das principais estradas.

Leia Também: Nações Unidas exigem esclarecimento sobre caso de jornalista agredida

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório