Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2021
Tempo
20º
MIN 17º MÁX 27º

Edição

São Tomé: Apoiantes do 1º classificado exigem 2ª volta no dia 8 de agosto

Centenas de apoiantes de Carlos Vila Nova, candidato mais votado na primeira volta das presidenciais em São Tomé, manifestaram-se hoje exigindo a realização da segunda volta das eleições no dia 08 de agosto.

São Tomé: Apoiantes do 1º classificado exigem 2ª volta no dia 8 de agosto

A manifestação pacífica, acompanhada de perto pelas autoridades, percorreu esta tarde as principais ruas da cidade de São Tomé, com os manifestantes a erguerem cartazes onde se podia ler frases como "Respeita a vontade do povo, a constituição e às leis"; "Queremos segunda volta já".

A segunda volta das eleições presidenciais deveria acontecer no dia 08 de agosto, entre os candidatos Carlos Vila Nova e Gilherme Posser da Costa, primeiro e segundo classificados na primeira volta, de acordo com os dados provisórios divulgados pela Comissão Eleitoral Nacional.

Um recurso para a recontagem dos votos, apresentado pelo candidato Delfim Neves, que ficou na terceira posição, causou divisão entre os juízes do Tribunal Constitucional que divulgaram dois acórdãos com decisões diferentes e estagnou até ao momento o processo eleitoral.

"Nós queremos uma decisão imediata, que o Tribunal se reúna para resolver o problema do povo" disse uma manifestante.

O candidato Delfim Neves, o presidente do Tribunal Constitucional, Pascoal Daio e o juiz-conselheiro Hilário Garrido foram várias vezes visados nos cânticos e cartazes dos apoiantes de Carlos Vila Nova durante a manifestação.

"Daio e Garrido Ruaa..." mostrava um manifestante fazendo referência ao Presidente do TC e o juiz, cunhado do candidato Delfim Neves, que assinaram o acórdão que ordenou a recontagem dos votos das eleições presidenciais.

Também foram feitos vários apelos ao Chefe de Estado são-tomense, Evaristo Carvalho.

"Senhor Presidente da República tem que tomar posição porque senhor é o mais alto magistrado desta nação", disse outro manifestante, considerando que "os políticos e os juízes" são os causadores da crise no país, por isso só o chefe de Estado "tem como por ponto final neste processo".

Esta quinta-feira o Presidente da República promoveu um encontro entre os órgãos de soberania e os cinco juízes do TC que permitiu o consenso para a realização de uma nova reunião daquele órgão a fim de produzir uma nova decisão o pedido de recontagem de votos e posterior marcação da data para a realização da segunda volta das presidenciais.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório