Meteorologia

  • 24 SETEMBRO 2021
Tempo
23º
MIN 15º MÁX 23º

Edição

Iraque celebra acordo com Líbano para fornecer barris de combustível

Iraque e Líbano assinaram hoje um acordo segundo o qual o regime de Bagdade entrega um milhão de toneladas de combustível pesado, ao preço de mercado, em troca de Beirute fornecer serviços e produtos, indicaram fontes oficiais.

Iraque celebra acordo com Líbano para fornecer barris de combustível
Notícias ao Minuto

16:59 - 24/07/21 por Lusa

Mundo Combustível

Segundo relata a agência EFE, citando a agência oficial iraquina INA, o primeiro-ministro iraquiano, Mustafa al Kazemi, presidiu à cerimónia de assinatura do acordo que foi assinado pelo ministro das Finanças iraquiano, Ali Abdelamir Alai, e pelo ministro libanês de Energia e Águas, Raymond Ghajar, que atualmente está de visita oficial a Bagdade.

Em informações prestadas à INA, o Ministério do Petróleo iraquiano explicou que "o Iraque fornecerá ao Líbano petróleo bruto progressivamente até atingir um milhão de toneladas por ano", que é o que sobra das refinarias de petróleo.

Não especificou "os bens e serviços" que o Líbano em crise terá que contribuir para o Iraque em troca de combustível.

Com um sistema elétrico público débil desde a guerra civil que terminou em 1990, a população libanesa depende em larga medida do usos de geradores aquiridos a terceiros, mas a falta de combustível para os fazer funconar faz com que não haja luz durante longos períodos, incluindo na capital.

A crise ocorrida no Líbano no final de 2019 já é considerada uma das 10 piores do mundo desde meados do século XIX, agravando-se recentemente com nova desvalorização da moeda local, subida da inflação e escassez de produtos básicos, tais como medicamentos, material médico e combustível.

A renúncia do primeiro-ministro designado, Saad Hariri, na semana passada, após nove meses sem conseguir formar governo devido à falta de consenso político, traduziu-se num novo atraso na busca de soluções para evitar o que o Líbano sofra, segundo analistas económicos, num iminente "colapso financeiro."

Leia Também: Angola quer taxa de 230% para travar contrabando de combustível

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório