Meteorologia

  • 03 AGOSTO 2021
Tempo
25º
MIN 17º MÁX 28º

Edição

Covid-19. Índia nega que haja 10 vezes mais óbitos que dados oficiais

As autoridades indianas rejeitaram hoje as conclusões de um estudo que refere que o número real de mortes por Covid-19 seja dez vezes maior do que os dados oficiais.

Covid-19. Índia nega que haja 10 vezes mais óbitos que dados oficiais
Notícias ao Minuto

16:15 - 22/07/21 por Lusa

Mundo Estudo

Segundo um estudo, divulgado na terça-feira e publicado por Arvind Subramanian, antigo conselheiro económico do governo indiano, e dois investigadores do Centro para o Desenvolvimento Global e da Universidade de Harvard, o excesso de mortes - a diferença entre os óbitos registados e os que seriam esperados em circunstâncias normais - ronde entre três e 4,7 milhões entre janeiro de 2020 e junho de 2021.

Para o Ministério da Saúde indiano, o relatório "assume que todos os números de excesso de mortalidade são mortes por Covid-19, o que não é baseado em fatos e é totalmente falacioso".

A Índia, que calculou sempre a baixa mortalidade de cerca de 1,5% causada pela covid-19 em comparação com outras nações afetadas, questiona os métodos de cálculo do CDG.

"A extrapolação das mortes foi feita na audaz suposição de que a probabilidade de que uma pessoa infetada morra é a mesma em todos os países, descartando a interação de fatores diretos e indiretos, como raça, etnia, constituição genómica, níveis de exposição associados a outras doenças e imunidade desenvolvida por essa população", criticou.

Porém, o Ministério da Saúde não deu detalhes sobre as causas que poderiam ter causado o excesso de mortes.

O estudo recorreu a três métodos de cálculo: dados do sistema de registo civil, que regista nascimentos e mortes em sete estados, testes de sangue que mostram a prevalência do vírus na Índia, juntamente com as taxas globais de mortalidade devido à Covid-19, e um inquérito económico a perto de 900.000 pessoas, realizado três vezes por ano.

A Índia é o segundo país do mundo com mais casos de Covid-19, depois dos EUA, contabilizando mais de 31 milhões de infeções desde o início da pandemia, de acordo com o último balanço da Universidade norte-americana Johns Hopkins.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 4.128.543 mortos em todo o mundo, entre mais de 191,9 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

Leia Também: AO MINUTO: "Vermelho menos denso"; "Impacto prolongado" na saúde mental

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório