Meteorologia

  • 12 AGOSTO 2022
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 31º

Venezuela denuncia na ONU que sanções impedem o envio de vacinas

A Venezuela denunciou que as sanções impostas pelos Estados Unidos estão a impedir a chegada de vacinas contra a covid-19, afetando o programa de imunização da população local.

Venezuela denuncia na ONU que sanções impedem o envio de vacinas
Notícias ao Minuto

06:14 - 06/07/21 por Lusa

Mundo Covid-19

A denúncia foi feita perante o Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), pelo embaixador venezuelano na ONU, Héctor Constant.

Segundo o diplomata, as sanções económicas e financeira dos EUA contra a Venezuela são um exemplo de "um crime que lesa a humanidade" pois bloquearam o pagamento de milhões de dólares ao Fundo de Acesso Global para Vacinas Covid-19 (Covax).

As declarações de Héctor Constant tiveram lugar um dia depois de o Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ter feito, no domingo, um ultimato ao programa Covax, para entregar as vacinas que ainda não recebeu ou então que devolvam o dinheiro.

"O sistema Covax falhou. Nós cumprimos a nossa parte (...). Tivemos que entrar no jogo, fazer magia para desbloquear fundos que estavam congelados", declarou Maduro, na televisão nacional, precisando que o país pagou 120 milhões de dólares àquele programa da Organização Mundial de Saúde (OMS) sem nada receber.

"Dei instruções precisas (...) para agir esta semana e lancemos um ultimato ao sistema Covax: ou nos enviam as vacinas ou nos devolvem o dinheiro (...) se nos devolverem o dinheiro, nós sabemos onde comprar [vacinas]. Já discutimos com instituições internacionais. Chega de enganos", acrescentou.

Entretanto, a Fundação GAVI, que coordena o programa Covax em conjunto com a Organização Mundial da Saúde, reagiu ao ultimato do Presidente Nicolás Maduro, assegurando que tenta resolver o problema do envio de vacinas contra a covid-19 para a Venezuela.

"Estamos a tratar de resolver essa questão o mais rápido possível", disse um porta-voz da GAVI, citado pela agência de notícias EFE.

Já dura há vários meses a polémica em torno das vacinas que a Venezuela diz ter comprado através do programa Covax.

Segundo anteriores declarações do Presidente Maduro, os Estados Unidos bloquearam 10 milhões de dólares, o último pagamento do seu país para beneficiar do Covax, devido a sanções norte-americanas impostas à Venezuela.

Desde março de 2020 que a Venezuela está em confinamento preventivo e atualmente tem um sistema de sete dias de flexibilização, seguidos de outros sete dias de confinamento rigoroso.

O país contabilizou 3.209 mortes e 278.665 casos da doença, desde o início da pandemia, de acordo com dados oficiais.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 3.980.935 mortos em todo o mundo, resultantes de mais de 183,7 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente feito pela agência France Presse.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.117 pessoas e foram registados 890.571 casos de infeção, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, a Índia ou a África do Sul.

Leia Também: Covid-19: Índia com 34.703 casos, valor mais baixo em mais de 100 dias

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório