Meteorologia

  • 23 OUTUBRO 2021
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 25º

Edição

Israel adia entrada de turistas para agosto devido ao aumento de casos

O Governo de Israel decidiu hoje adiar para agosto a entrada de turistas no país, prevista inicialmente para julho, devido ao aumento verificado nos últimos dias de novos casos da doença covid-19 naquele território.

Israel adia entrada de turistas para agosto devido ao aumento de casos
Notícias ao Minuto

19:36 - 23/06/21 por Lusa

Mundo Covid-19

A decisão foi anunciada pelo gabinete do primeiro-ministro israelita, Naftali Bennet, e enquadra-se num conjunto de novas medidas que pretendem travar o avanço de uma possível nova vaga de infeções pelo novo coronavírus SARS-Cov-2 no país.

As novas medidas incluem, por exemplo, o aumento das coimas por violação do período de quarentena, um reforço da capacidade de monitorização das cadeias de contágio e novas campanhas informativas.

Estas medidas surgem num contexto de preocupação em relação à variante Delta, inicialmente detetada na Índia e caracterizada como mais resistente e mais transmissível.

"Neste momento, o nosso objetivo, em primeiro lugar, é proteger os cidadãos de Israel da desenfreada variante Delta", afirmou Naftali Bennet, durante uma reunião com membros do executivo israelita e especialistas.

Na mesma reunião, o primeiro-ministro israelita, que tomou posse este mês, frisou, no entanto, que a estratégia que vai ser adotada pretende não alterar em muito a vida da população.

Israel contabilizou hoje, pelo segundo dia consecutivo, mais de 100 novos contágios, um número que não era registado há vários meses e que está a ser associado à entrada no país da nova variante do SARS-Cov-2 através do estrangeiro.

Segundo os dados mais recentes do Ministério da Saúde israelita, o país tem atualmente 554 casos ativos da doença covid-19, dos quais 26 são doentes em estado grave.

Muitos dos infetados com a nova variante são pessoas que já estavam vacinadas contra a covid-19, situação que está a fazer soar os alarmes no país, que se tornou nos primeiros meses do ano num dos líderes mundiais da vacinação contra a doença.

No país, que conta com uma população na ordem dos nove milhões de habitantes, mais de cinco milhões de pessoas foram vacinadas e a pandemia parecia estar controlada.

Na semana passada, as autoridades israelitas tinham decretado o levantamento da obrigação do uso de máscara de proteção individual em ambientes fechados.

Caso o número de novas infeções não diminuir no país, as autoridades israelitas já avisaram que o uso da máscara em ambientes fechados será novamente imposto.

O Ministério da Saúde israelita também está a recomendar que a vacinação de menores com idades compreendidas entre os 12 a 15 anos seja acelerada, uma vez que uma parte importante dos novos casos estão a ser detetados em escolas.

A entrada de estrangeiros com visto de turista está proibida no país desde o início da pandemia, em março de 2020.

No mês passado, foi autorizada a entrada de grupos de turistas vacinados, integrados em viagens organizadas por órgãos autorizados e sob rígidas medidas de prevenção.

A pandemia da doença covid-19 provocou, pelo menos, 3.884.538 vítimas mortais em todo o mundo, resultantes de mais de 179 milhões de casos de infeção diagnosticados oficialmente, segundo o mais recente balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia Também: Confrontos entre colonos judeus e residentes palestinianos em Jerusalém

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório