Meteorologia

  • 27 JANEIRO 2022
Tempo
13º
MIN 9º MÁX 16º

Edição

Amnistia Internacional pede investigação a novo presidente iraniano

A Amnistia Internacional (AI) defendeu hoje que o novo presidente do Irão, o ultraconservador Ebrahim Raïssi, deveria ser objeto de uma investigação por "crimes contra a humanidade" e "repressão brutal" dos direitos humanos.

Amnistia Internacional pede investigação a novo presidente iraniano
Notícias ao Minuto

14:47 - 19/06/21 por Lusa

Mundo Irão

Em comunicado, a organização com sede em Londres pediu aos Estados-membros do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas que tomem "medidas concretas para lidar com a impunidade sistemática no Irão".

"O facto de Ebrahim Raïssi ter chegado à presidência em vez de ser investigado por crimes contra a humanidade, assassinato, desaparecimentos forçados e tortura, é uma confirmação de que a impunidade reina no Irão", afirmou a AI.

A organização de direitos humanos acusou Raïssi de ser membro de uma "Comissão da Morte", que considera ser responsável pelos desaparecimentos forçados e execuções extrajudiciais em segredo, de milhares de pessoas.

Os opositores ao regime foram detidos enquanto Raïssi trabalhava como procurador-adjunto no Tribunal Revolucionário de Teerão, em 1988.

Questionado em 2018 e 2020 sobre essas execuções, o agora presidente negou ter tido qualquer envolvimento, mas elogiou essa "ordem de purificação" dada, segundo ele, pelo aiatola Khomeini, fundador da República Islâmica do Irão.

Segundo a AI, "o destino das vítimas e a localização dos corpos estão até hoje ocultados pelas autoridades iranianas, o que [também] corresponde a crimes contra a humanidade".

Leia Também: Eleições no Irão são vitória sobre "propaganda do inimigo", diz Khamenei

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório