Meteorologia

  • 30 JULHO 2021
Tempo
23º
MIN 16º MÁX 27º

Edição

Refugiados. Líder do ACNUR defende inclusão social dos migrantes

O alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados, Filippo Grandi, defendeu hoje, durante uma visita à Colômbia, a inclusão social dos migrantes, política que definiu como "a forma moderna de proteção internacional".

Refugiados. Líder do ACNUR defende inclusão social dos migrantes

"O tema do Dia Mundial dos Refugiados (que se assinala no próximo domingo) é a inclusão, que é muito importante: inclusão das crianças nas escolas, possibilidade de emprego para imigrantes e refugiados", sublinhou Grandi num colóquio com o diretor de Fronteiras do Governo colombiano, Lucas Gómez.

Nesse sentido, o dirigente do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR) destacou a decisão do Presidente colombiano, Iván Duque, de criar o Estatuto de Proteção Temporária para os migrantes da Venezuela, que beneficiará cerca de dois milhões de cidadãos venezuelanos que entraram na Colômbia fugindo à crise no seu país.

"Temos de falar disto como um exemplo, não apenas para a região, mas como um exemplo global, porque temos este desafio da integração em todos os pontos do mundo, de dar visibilidade a situação", afirmou.

Grandi celebrou também o anúncio do Presidente do Equador, Guillermo Lasso, de que o país "vai criar uma forma de proteção temporária" para os venezuelanos que se encontram no seu território, e outra iniciativa semelhante do Presidente do Peru, Francisco Sagasti, medidas que atribuiu ao que designou como "efeito Colômbia".

Segundo dados do ACNUR hoje divulgados, o número de refugiados e deslocados internos em todo o mundo continuou a crescer em 2020, até alcançar um recorde de 82,4 milhões de pessoas.

Os venezuelanos migrantes são, segundo o mesmo organismo internacional, cerca de 4,9 milhões de pessoas, 1,7 milhões dos quais estão na Colômbia.

"Na Colômbia, está em curso um projeto que é o mais avançado na área de proteção internacional, os colombianos estão fortemente empenhados", indicou.

O Alto-Comissário emitiu um sinal de reconhecimento aos habitantes deste país "que, apesar da situação difícil da Colômbia, não só abriram as suas portas a pessoas em fuga de uma situação difícil, como o fazem de uma forma tão construtiva".

Grandi sublinhou também a importância de "os venezuelanos que se encontram na Colômbia respeitarem a lei e participarem positivamente na vida da sociedade colombiana".

"Têm direitos humanos como migrantes, mas também obrigações de respeito da lei e da vida social", afirmou.

O responsável do ACNUR iniciou hoje uma visita à Colômbia que inclui celebrações do Dia Mundial dos Refugiados, após as quais viajará para Quito, no domingo à tarde.

Leia Também: ACNUR "seriamente preocupado" com segurança dos civis em Cabo Delgado

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório