Meteorologia

  • 24 SETEMBRO 2021
Tempo
20º
MIN 17º MÁX 23º

Edição

Governo quer Portugal e Europa a liderar na "computação verde"

A presidência portuguesa da União Europeia (UE) defendeu hoje a aposta na "computação verde", tecnologia de alto desempenho sustentável, considerando que Portugal e a Europa podem vir a liderar nesta inovação, dado o supercomputador a instalar no Minho.

Governo quer Portugal e Europa a liderar na "computação verde"
Notícias ao Minuto

15:05 - 28/05/21 por Lusa

Mundo UE/Presidência

"Esta é uma área onde certamente Portugal e, neste caso, a Europa podem vir a liderar aquilo que é a instalação da computação verde, a computação de alto desempenho que ao mesmo tempo é ecologicamente adequada", afirmou o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor.

Falando em conferência de imprensa no final de um Conselho de Competitividade onde os ministros da UE chegaram a acordo para garantir aposta na computação de alto desempenho, o governante assinalou que, num evento a realizar no Minho, no dia 18 de junho, o país irá demonstrar "a experiência em Portugal de instalar este supercomputador no âmbito de uma comunidade energeticamente sustentável com recurso, sobretudo, a fontes renováveis de energia".

"No dia 18 de junho, com a participação da comissária [europeia para a Inovação e Investigação] Mariya Gabriel, iremos reunir" os supercomputadores em instalação ao nível europeu "como um exemplo daquilo que é importante a distribuição e a partilha de infraestruturas únicas por toda a Europa", acrescentou o governante.

Em causa está a Empresa Comum Europeia para a Computação de Alto Desempenho, iniciativa que junta recursos europeus para comprar e instalar supercomputadores e tecnologias de classe mundial.

No âmbito desta iniciativa, foram anunciados em fevereiro passado 20 milhões de euros para a instalação em Portugal de um novo supercomputador, que deverá estar operacional no início de 2022, dos quais sete milhões de euros provêm da Comissão Europeia.

Além do projeto português, a iniciativa europeia contribuiu já para a aquisição de outros seis computadores de alto desempenho para centros de computação localizados na Bulgária, República Checa, Finlândia, Itália, Luxemburgo e Eslovénia.

A Empresa Comum Europeia para a Computação de Alto Desempenho planeia, ainda este ano, fazer o mesmo com outro supercomputador em Barcelona, Espanha.

Para Manuel Heitor, esta é uma "medida particularmente importante para a coesão europeia", dado o desenvolvimento que estas inovações tecnológicas levam para a região onde são instaladas.

O novo supercomputador a instalar no Minho Advanced Computing Centre, em Guimarães, deverá estar operacional no início de 2022, sendo um dos quatro centros operacionais de computação avançada em Portugal coordenados pela Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Em setembro de 2020, a Comissão Europeia apresentou uma proposta para permitir um investimento adicional de oito mil milhões de euros na próxima geração de supercomputadores e tecnologias quânticas.

Leia Também: Governo aprova envolvimento de país em iniciativas de computação avançada

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório