Meteorologia

  • 19 JUNHO 2021
Tempo
19º
MIN 14º MÁX 21º

Edição

Ex-colaborador de congressista dos EUA admite tráfico sexual

Um político do estado norte-americano da Flórida admitiu ter pago a uma menor por atos sexuais e aceitou colaborar com uma investigação federal em curso, envolvendo o congressista republicano Matt Gaetz, de quem foi colaborador.

Ex-colaborador de congressista dos EUA admite tráfico sexual
Notícias ao Minuto

07:24 - 15/05/21 por Lusa

Mundo Justiça

Segundo um acordo de confissão apresentado ao tribunal da cidade de Orlando, citado pela AP, Joel Greenberg, político local e responsável do fisco, deverá declarar-se culpado de seis acusações federais - incluindo tráfico sexual de menores - durante uma audiência na segunda-feira. 

Os promotores federais têm examinado se Gaetz e Greenberg, alto funcionário do fisco do condado de Seminole, pagavam a raparigas menores de idade ou lhes ofereciam presentes em troca de sexo, segundo fontes citadas pela AP. 

O acordo de confissão não faz menção a Gaetz, que negou veementemente as acusações e qualquer irregularidade e insistiu que não renunciaria ao seu lugar no Congresso.

Como parte do acordo de confissão, Greenberg admitiu que recrutou mulheres para atos sexuais comerciais, pagando-lhes mais de 70 mil dólares (cerca de 58 mil euros) entre 2016 e 2018.

Entre os casos está o de uma rapariga menor de idade a quem Greenberg diz ter pago para atos sexuais consigo e outras pessoas.

Os procuradores dizem que Greenberg conheceu a rapariga na internet - num site onde esta se faria passar por adulta - e teve pelo menos sete encontros sexuais com ela.

"Greenberg também apresentou a menor a outros homens adultos, que se envolveram em atos sexuais comerciais com a menor", ??afirma o acordo de confissão.

O acordo de confissão, assinado quarta-feira, não identifica os homens.

Segundo o The New York Times, que noticiou a investigação a Gaetz em primeira mão, esta resulta de um processo anterior contra Greenberg, já constituído arguido por tráfico de menores, além de outras acusações de assédio a adversários políticos.

A Comissão de Ética da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos abriu entretanto uma investigação a Matt Gaetz.

Além de membro da Comissão de Justiça, o congressista de 38 anos integra também a Comissão do Serviço Militar, tendo-se notabilizado pela defesa acérrima do ex-presidente Trump, sobretudo nos dois processos de destituição de que foi alvo.

Gaetz, eleito pelo Estado da Florida, terá conhecimento há meses de que é alvo de uma investigação federal, sob suspeita de que terá violado a lei de tráfico de menores, por viajar entre Estados com uma menor de 17 anos com quem mantinha relações sexuais. 

No caso em curso há quase um ano, e que envolveu o topo da hierarquia do Departamento de Justiça, o congressista é também suspeito de ter mantido relações com outras menores.

Nos últimos meses, os investigadores interrogaram testemunhas e reviram documentos de viagem e financeiros do congressista. 

O ex-presidente Donald Trump rejeitou que Gaetz, um dos seus maiores apoiantes, lhe tenha pedido um indulto presidencial. 

Segundo o The New York Times, Gaetz abordou o assunto em conversas privadas na Casa Branca, pedindo particularmente "indultos preventivos gerais para si e para aliados seus no Congresso", mas que tal foi negado pelo potencial de ser aberto um precedente.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório