Meteorologia

  • 19 JANEIRO 2022
Tempo
MIN 5º MÁX 14º

Edição

MNE destaca "cooperação estreita" entre UE e EUA sobre ação climática

O ministro dos Negócios Estrangeiros português destacou hoje que há um espírito de "cooperação estreita" entre os Estados Unidos e a UE nas questões de ação climática, após um encontro entre os chefes das diplomacias europeias e John Kerry.

MNE destaca "cooperação estreita" entre UE e EUA sobre ação climática
Notícias ao Minuto

18:19 - 10/05/21 por Lusa

Mundo MNE

"O espírito é muito simples caracterizá-lo: foi o espírito da cooperação estreita entre a UE e os Estados Unidos nesta agenda multilateral tão decisiva como é a ação climática", sublinhou o chefe da diplomacia portuguesa.

Augusto Santos Silva falava em conferência de imprensa após o Conselho de Negócios Estrangeiros da UE, que decorreu hoje em Bruxelas, e na qual os chefes das diplomacias europeias se reuniram, por videoconferência, com o enviado presidencial especial dos Estados Unidos para o Clima, John Kerry.

Qualificando o encontro em questão de "muito agradável", Santos Silva referiu que os dois parceiros abordaram a preparação da 26.ª Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP26) - que terá lugar em novembro em Glasgow, no Reino Unido - com vista a torná-la "tão produtiva quanto possível".

Durante o encontro com o antigo secretário de Estado norte-americano, o ministro dos Negócios Estrangeiros português informou também que alertou os seus parceiros para o "nexo evidente entre as questões do clima e as questões dos oceanos", sublinhando que "o oceano é o regulador climático mais importante" que a Terra dispõe.

"Nesse quadro, chamei também a atenção para a necessidade de termos uma agenda própria para os oceanos, tendo em vista a adequada preparação da próxima conferência das Nações Unidas sobre os Oceanos, a realizar-se no próximo ano em Portugal", informou ainda Santos Silva, em referência à 2.ª Conferência dos Oceanos que estava inicialmente para junho de 2020 em Lisboa, mas que, devido à situação pandémica, tem sido sucessivamente adiada, estando agora previsto que decorra em 2022.

O enviado presidencial especial dos Estados Unidos para o Clima, John Kerry, participou hoje no Conselho de Negócios Estrangeiros da UE.

John Kerry tem multiplicado os contactos com os parceiros europeus. Em 09 de março, o antigo secretário de Estado norte-americano deslocou-se a Bruxelas onde, após ter participado numa reunião do colégio de comissários, referiu que os Estados Unidos não "têm melhor parceiro" que a UE para responder ao desafio climático.

"É importante que nos alinhemos, (...) porque nenhum país pode resolver esta crise sozinho, serão necessários todos os países e mais que apenas os Governos: será necessária a sociedade civil, as comunidades e o setor privado", destacou o responsável na altura.

Contrariamente à precedente administração norte-americana de Donald Trump, que dizia que as alterações climáticas não são provocadas pelos humanos, a administração de Joe Biden fez da luta contra o desafio climático uma das suas grandes prioridades.

Nesse sentido, em 19 de fevereiro, quase quatro anos depois de Donald Trump ter anunciado a retirada dos Estados Unidos do Acordo de Paris, Joe Biden anunciou que os EUA iriam regressar ao tratado.

Leia Também: MNE turco visita Arábia Saudita e tenta retomar relações

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório