Meteorologia

  • 12 JUNHO 2021
Tempo
21º
MIN 16º MÁX 31º

Edição

União Europeia precisa de "consolidar a capacidade para a fraternidade"

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, defendeu hoje que a União Europeia (UE) deve "consolidar e fortalecer" a capacidade para a fraternidade face às "grandes transformações" que estão em curso a nível global.

União Europeia precisa de "consolidar a capacidade para a fraternidade"
Notícias ao Minuto

20:21 - 07/05/21 por Lusa

Mundo Charles Michel

"Este momento inscreve-se numa intuição que tivemos (...) de que as grandes transformações, climática e digital, (...) devem levar-nos a consolidar e fortalecer a capacidade para a fraternidade europeia, para essa famosa promessa europeia, que foi construída nas ruínas da Segunda Guerra Mundial, [que vê] a paz e a prosperidade enquanto pedras basilares da dignidade e da liberdade pessoal, da capacidade de agarrar o destino com as próprias mãos", apontou Charles Michel, no Porto.

O presidente do Conselho Europeu falava durante a sessão de encerramento da Cimeira Social, que precedeu a assinatura da Declaração do Porto, tendo reconhecido que a Europa Social é uma "tapeçaria complexa", feita de "circunstâncias, histórias e sistemas diferentes".

"No entanto, àqueles que dizem que a Europa Social é invisível, eu diria que é tão invisível como o ar que respiramos: é invisível, mas é essencial para a vida humana, e permite-nos crescer e desenvolver", apontou o responsável.

Referindo que a UE "precisa de desenvolvimento económico, de inovação e de prosperidade", Charles Michel frisou também a necessidade da "coesão social", de "proteger aqueles que estão a lidar com a vulnerabilidade, aqueles que têm que ultrapassar algumas dificuldades".

Nesse âmbito, o presidente do Conselho Europeu assinalou que a comunidade internacional tem "construído a sua visão do desenvolvimento" com base unicamente no Produto Interno Bruto (PIB), que disse ser "um indicador importante", porque é testemunha "do potencial para o desenvolvimento económico", mas reconheceu que se deve ir além.

"Quatro anos depois de Gotemburgo [a primeira cimeira social ocorreu na cidade sueca em 2017], queremos elaborar um novo roteiro, uma nova bússola baseada no bem-estar e no modo de vida europeu", sublinhou.

O presidente do Conselho Europeu reconheceu ainda que, depois de ter ouvido os parceiros sociais durante a Cimeira Social, os líderes europeus e representantes da sociedade civil podem "não partilhar necessariamente as mesmas ideias e a mesma abordagem", mas podem "ouvir-se uns aos outros", "concordar nos pontos principais" e na "direção" que querem dar ao projeto europeu.

Charles Michel terminou citando a música 'Grândola Vila Morena', do cantautor José Afonso, para ilustrar o que deseja para o futuro da UE.

"Quero concluir com algumas palavras de José Afonso: 'em cada esquina, um amigo, em cada rosto, igualdade'. É esse o meu desejo para o projeto europeu", apontou.

A Cimeira Social decorre hoje no Porto com a presença de 24 dos 27 chefes de Estado e de Governo da União Europeia, reunidos para definir a agenda social da Europa para a próxima década.

Também presentes no evento, que decorre em formato 'online' e presencial, estão além do Presidente do Parlamento Europeu, a presidente da Comissão, Úrsula Von der Leyen, e do Conselho Europeu, Charles Michel, assim como os vice-presidentes executivos da Comissão Margrethe Vestager e Valdis Dombrovskis, o Alto Representante Josep Borrell e os comissários Elisa Ferreira, Mariya Gabriel e Nicolas Schmit, além de outros líderes políticos e institucionais, parceiros sociais e sociedade civil.

Definida pela presidência portuguesa como ponto alto do semestre, esta cimeira tem no centro da agenda o plano de ação do Pilar Europeu dos Direitos Sociais, apresentado pela Comissão Europeia em março, que prevê três grandes metas para 2030: ter pelo menos 78% da população empregada, 60% dos trabalhadores a receberem formação anualmente e retirar 15 milhões de pessoas, cinco milhões das quais crianças, em risco de pobreza e exclusão social.

Leia Também: UE precisa de "fazer mais" no domínio social, frisa Sassoli

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório