Meteorologia

  • 23 JANEIRO 2022
Tempo
MIN 6º MÁX 14º

Edição

Aberta investigação a Boris Johnson por causa de obras em apartamento

A comissão eleitoral britânica abriu uma investigação formal ao financiamento das obras de remodelação feitas no apartamento de Boris Johnson em Downing Street.

Aberta investigação a Boris Johnson por causa de obras em apartamento

Depois de algumas semanas de pressão por parte da oposição, Boris Johnson vai ser formalmente investigado por causa das obras de remodelação ao seu apartamento em Downing Street, indicando a comissão eleitoral britânica que existem fundamentos para suspeitar de ilegalidade, noticia a Reuters.

"Temos, agora, a certeza de que há fundamentos razoáveis para suspeitar que uma infração ou infrações podem ter ocorrido. Vamos, por isso, continuar este trabalho como uma investigação formal para determinar se é este o caso", indicou o órgão.

A comissão indicou, ainda, que tem estado em contacto com o Partido Conservador, relativamente a este assunto, desde março.

O casa do governante britânico em Downing Street, que este partilha com a sua mulher, Carrie Symonds, foi alvo de uma remodelação que, de acordo com alguns relatos, custou 58 mil libras (cerca de 67 mil euros), retiradas dos fundos do Partido Conservador. A imprensa britânica noticiou nos últimos dias que o Partido Conservador recebeu esse valor de um militante, o milionário David Brownlow.

O gabinete do primeiro-ministro já veio a público anunciar que "qualquer custo de remodelação foi assumido pessoalmente por Boris Johnson".

Esta investigação surge oito dias antes de eleições, em Inglaterra, e num momento em que o governante é alvo de críticas no âmbito da gestão da pandemia.

O deputado do Partido Trabalhista, na oposição, Jonathan Ashworth, disse à BBC que pensa que o chefe do Governo está a mentir. "Nós precisamos saber quem deu o empréstimo, quem deu o dinheiro, porque precisamos saber a quem o primeiro-ministro está em dívida", afirmou.

Na semana passada, o antigo assessor Dominic Cummings revelou que se opôs à intenção de Boris Johnson de conseguir financiar as obras através de privados por considerar que era uma prática "contrária à ética, estúpida, talvez ilegal".

Boris Johnson já estava a ser investigado por uma comissão parlamentar devido a um donativo em espécie avaliado em 15.000 libras (18 mil euros) que cobriu os custos do alojamento no complexo de luxo privado da ilha de Mustique, nas Caraíbas, nas férias de Natal de 2019 que fez acompanhado pela companheira, Carrie Symonds. 

Leia Também: Dominic Cummings sai da sombra para ameaçar Boris Johnson  

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório