Meteorologia

  • 10 MAIO 2021
Tempo
18º
MIN 12º MÁX 18º

Edição

Há mais militares russos na fronteira com Ucrânia do que em 2014

O contingente da Rússia na fronteira com a Ucrânia é maior hoje do que em 2014, ano em que Moscovo invadiu a Crimeia, anunciou hoje o porta-voz do Pentágono, sem esclarecer quantos militares estão em concreto na região.

Há mais militares russos na fronteira com Ucrânia do que em 2014

Apesar de o chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, ter mencionado que há 150.000 militares russos na fronteira ucraniana, antes de os serviços do Alto Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança ter corrigido o número para 100.000, o porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, Jack Kirby, absteve-se de fornecer um número.

O contingente russo na fronteira com a Ucrânia é o maior "desde 2014", altura em que houve uma "violação da soberania e integridade" do território de Kiev, referiu Kirby durante uma conferência de imprensa, citado pela France-Presse (AFP).

"Não vou dar um número específico", acrescentou o porta-voz do Pentágono, reforçando que "é definitivamente" maior do que há sete anos.

Por isso, os Estados Unidos da América (EUA) consideraram que o aumento do contingente russo é "muito preocupante" e pediu ao Kremlin que "esclareça as intenções", já que o incremento de militares nesta região é contrário a uma intenção de "segurança e estabilidade ao longo da fronteira com a Ucrânia" e da "Crimeia ocupada".

"Os russos dizem que são exercícios [militares]. Não está muito claro para nós se esse é o objetivo", referiu.

No domingo, um militar ucraniano foi morto e outro ficou ferido durante um conflito com separatistas, aumentando as tensões com Moscovo.

Kiev receia que o Kremlin, amplamente considerado pela comunidade internacional com o "padrinho" político e militar dos separatistas do leste da Ucrânia, esteja a tentar encontrar um pretexto para invadir o país.

Por seu turno, Moscovo referiu que "não ameaçou ninguém", mas denunciou o que considerou serem "provocações" por parte da Ucrânia.

O conflito nesta região já provocou 13.000 mortes e quase 1.500.000 desalojados desde 2014, na sequência da anexação da península ucraniana da Crimeia pela Rússia.

Leia Também: Confrontos na fronteira com Rússia fazem um morto e um ferido ucranianos

Notícias ao Minuto nomeado para os Prémios Marketeer

O Notícias ao Minuto é um dos nomeados da edição de 2021 dos Prémios Marketeer, na categoria de Digital Media. As votações decorrem até ao próximo dia 31 de maio.

Para nos ajudar a vencer, basta aceder ao site da iniciativa organizada pela revista Marketeer, clicando aqui, e proceder ao preenchimento do formulário, selecionando Notícias ao Minuto na categoria de Digital Media e formalizando depois a votação. Obrigada pela sua preferência!

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório