Meteorologia

  • 07 MAIO 2021
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 24º

Edição

Antigo líder escocês quer "super maioria" pró-independência

O antigo líder da Escócia Alex Salmond disse hoje esperar que o partido Alba, que fundou no mês passado, ajude a formar uma "super maioria" pró-independência e force o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, a negociações para um novo referendo. 

Antigo líder escocês quer "super maioria" pró-independência
Notícias ao Minuto

12:11 - 14/04/21 por Lusa

Mundo Alex Salmond

Num evento organizado pela Associação de Jornalistas Estrangeiros britânica, Salmond disse acreditar ser possível ocupar 80 a 90 dos 129 assentos da Assembleia autónoma, juntamente com os outros partidos pró-independência, o Partido Nacionalista Escocês (SNP) e os Verdes.

"O Alba defende mais urgência do que o SNP enquanto governo, e certamente mais do que o Partido dos Verdes (...). Queremos ver a independência estabelecida como uma prioridade imediata", afirmou.

Segundo Salmond, "na primeira semana [após as eleições], o parlamento escocês deve ordenar ao executivo escocês que inicie negociações com o Governo de Westminster", liderado por Boris Johson.  

"Essas negociações podem levar algum tempo, é claro, mas achamos que a negociação deve ser aberta, imediatamente", acrescentou. 

As eleições para o parlamento regional autónomo realizam-se a 06 de maio, tendo duas sondagens recentes sugerido que o Alba terá dificuldades em eleger deputados regionais. 

Uma sondagem publicada pelo jornal The Scotsman na semana passada indica que o SNP ficará aquém da maioria absoluta e que o novo partido de Alex Salmond não vai ganhar nenhum assento, apesar de ter 3% das intenções de voto.

Um outro estudo de opinião encomendada pela Sky News também na semana passada concluiu que o SNP está bem posicionado para obter uma maioria absoluta sozinho, mas os 2% de apoio ao Alba dificilmente serão suficientes para eleger um único deputado. 

Boris Johnson tem reiteradamente recusado autorizar a realização de um novo referendo, alegando que o resultado da consulta popular de 2014, quando 55% dos eleitores votaram pela permanência no Reino Unido, ainda é válido.

Porém, os partidos pró-independência, liderados pelo SNP, alegam que a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), foi feita contra a vontade dos escoceses, que votaram maioritariamente contra o 'Brexit', e que a pergunta deve ser feita de novo perante as novas circunstâncias. 

O regresso de Alex Salmond à vida política acontece meses depois de ter sido ilibado de acusações de assédio sexual enquanto estava chefiava o executivo escocês, e de ter criticado abertamente a sucessora, Nicola Sturgeon, devido à forma como o processo foi gerido pelas autoridades. 

Sturgeon, que recusou as acusações de conspiração contra o mentor, considera existirem ainda dúvidas sobre o seu comportamento e regresso à vida política, mas disse que "cabe aos eleitores julgar e decidir". 

Leia Também: Inglaterra e Escócia reportam 10 óbitos e 2.297 casos de Covid-19

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório