Meteorologia

  • 23 ABRIL 2021
Tempo
17º
MIN 14º MÁX 20º

Edição

Timor. Avião com apoio urgente ainda sem autorização para aterrar em Díli

Um empresário australiano fretou um avião para transportar medicamentos e outros materiais urgentes recolhidos na Austrália para apoiar Timor-Leste, mas ainda não obteve autorização do Governo timorense para aterrar em Díli.

Timor. Avião com apoio urgente ainda sem autorização para aterrar em Díli

Fonte envolvida na organização da viagem confirmou à Lusa que o pedido de aterragem do voo na segunda-feira já foi formulado às autoridades em Díli, mas que "até ao momento ainda não foi dada a autorização".

O voo 'charter' foi oferecido pelo diretor da empresa Sentinel e cônsul honorário de Timor-Leste em Queensland, Craig Thrupp, com a coordenação da operação a ser feita pelo veterano Michael Stone.

A bordo devem seguir as primeiras de várias toneladas de material médico e humanitário doado por australianos e timorenses residentes na Austrália numa campanha voluntária iniciada em resposta às notícias das cheias que afetaram Timor-Leste.

A embaixadora de Timor-Leste em Camberra, Inês Almeida, disse à Lusa que os bens foram doados por australianos e pela comunidade timorense, especialmente em Darwin.

"A forma como as pessoas se juntaram neste nosso momento de necessidade é um exemplo de quão estreitos são os laços entre australianos e timorenses. Estamos gratos pela generosidade e ajuda humanitária oferecida até agora", disse.

A diplomata destacou o apoio de Craig Thrupp e major Michael Stone por coordenar o voo charter.

Além da carga que virá com avião, devem partir na próxima semana de Darwin, por via marítima, pelo menos dois contentores com bens doados pela comunidade de Darwin.

A campanha de recolha foi iniciada por Rosa Horta Carrascalão, viúva do líder histórico timorense João Carrascalão, que disse à Lusa que a comunidade de Darwin "abriu o coração" e tem estado a entregar e a preparar toneladas de bens para enviar para Díli.

"O nosso clube é enorme e está cheio de coisas, roupa, baterias, colchões, até veio alguém perguntar se aceitavam cadeiras de rodas e outros. Muitos estão a entregar e depois muitos estão a ajudar a empacotar e preparar para o envio", referiu.

Os bens encheram o espaço do Portuguese and Timorese Club em Darwin e estão agora a ser colocados em caixas etiquetadas para facilitar a distribuição em Díli.

Uma ajuda preciosa é agora a de Franky Zayat, um tunisino da empresa ACR Parts, que ofereceu os contentores "que sejam necessários" para o transporte em Díli e que explicou à Lusa que toda a gente se está a mobilizar.

"Está toda a gente a ajudar. Eu sou africano, mas agora somos todos timorenses. Aqui estamos todos, lado a lado. Não importa de onde somos, somos todos ser humanos. Vamos meter os contentores que forem precisos para partirem já na próxima semana", explicou.

A campanha de Rosa Carrascalão é apenas uma de várias dezenas de iniciativas em curso para angariar apoios para as vítimas das cheias.

Em Timor-Leste, timorenses e estrangeiros continuam a mobilizar-se numa ação de solidariedade sem precedentes para apoiar deslocados e as famílias afetadas.

Leia Também: Cheias em Timor. Governo tem de dizer que apoio internacional precisa

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório