Meteorologia

  • 17 ABRIL 2021
Tempo
23º
MIN 13º MÁX 23º

Edição

Merkel pede à Rússia que reduza presença militar na fronteira com Ucrânia

A chanceler alemã, Angela Merkel, pediu hoje à Rússia para reduzir a sua presença militar na região da fronteira com a Ucrânia, durante uma conversa telefónica com o Presidente russo, Vladimir Putin, avançou o Governo alemão.

Merkel pede à Rússia que reduza presença militar na fronteira com Ucrânia

Os dois dirigentes falaram do "fortalecimento da presença militar russa no leste da Ucrânia", tendo "a chanceler pedido que esse reforço seja reduzido para diminuir a escalada" do conflito, adianta o executivo da Alemanha em comunicado.

Por seu lado, o Kremlin afirmou, em comunicado, que Putin e Merkel "estão preocupados com o aumento das tensões" no conflito do leste da Ucrânia, tendo o Presidente russo sublinhado a Angela Merkel a responsabilidade de Kiev neste conflito, denunciando "provocações que visam, em última instância, agravar voluntariamente a situação na linha de contacto".

Na versão de Kiev, Moscovo e os separatistas pró-russos são os responsáveis pelos conflitos e tensões crescentes.

De acordo com o Kremlin, durante a conversa telefónica com Merkel, Putin também referiu a necessidade urgente de a Ucrânia cumprir os acordos, particularmente no que diz respeito ao "diálogo direto" com as chamadas repúblicas populares de Donetsk e Lugansk e ao processo de aprovação de uma lei sobre o estatuto especial destes territórios separatistas.

Os dois dirigentes apelaram "à contenção e ao retomar do processo de negociações", já que as conversações de paz entre a Ucrânia e a Rússia, com mediação franco-alemã, encontram-se num impasse, acrescentou Moscovo.

O último encontro aconteceu em dezembro de 2019 e, desde então, não houve nenhum progresso político concreto nem está planeada mais nenhuma reunião.

A conversa entre Putin e Merkel aconteceu numa altura em que Kiev e os seus aliados ocidentais acusam Moscovo de aumentar o número de militares presentes na fronteira e os separatistas pró-Rússia de causar incidentes armados mortais quase todos os dias.

Os dois líderes discutiram outros assuntos, como o destino do líder da oposição russa, Alexeï Navalny, o conflito na Síria e a situação na Líbia.

Leia Também: Putin e Merkel mostram-se preocupados com escalada de tensão na Ucrânia

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório