Meteorologia

  • 23 ABRIL 2021
Tempo
17º
MIN 14º MÁX 20º

Edição

EUA expressam a Bachelet preocupação com direitos humanos

Os EUA comunicaram hoje à alta-comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, a sua preocupação com a situação em vários países, incluindo na China, Venezuela e Myanmar (antiga Birmânia).

EUA expressam a Bachelet preocupação com direitos humanos

A embaixadora dos EUA na ONU, Linda Thomas-Greenfield, teve uma reunião virtual com Bachelet, na qual enviou a mensagem, segundo referiu em comunicado a sua porta-voz, Olivia Dalton.

No relatório anual sobre a situação dos Direitos Humanos em vários países, divulgado na semana passada, o Departamento de Estado norte-americano expressou a sua preocupação com torturas e alegadas execuções extrajudiciais na Venezuela e noutros países latino-americanos, como Cuba e Nicarágua.

Nesse documento, Washington referiu-se ao governo do Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, como um "regime ilegítimo", já que a Administração de Joe Biden continua a reconhecer o líder da oposição, Juan Guaidó, como Presidente interino da Venezuela, que se autoproclamou como tal em janeiro de 2019, com o apoio do então Presidente norte-americano, Donald Trump.

No mesmo relatório, os EUA acusaram a China de "genocídio" e "crimes contra a humanidade" contra uigures e outras minorias muçulmanas na província de Xinjiang, no noroeste do país.

Além da China, Venezuela e Myanmar, Linda Thomas-Greenfield expressou a preocupação dos EUA com a situação dos direitos humanos na Etiópia e no Iémen, destacando a importância de que os responsáveis pelos abusos prestem contas à justiça.

De acordo com a sua porta-voz, a embaixadora norte-americana expressou o apoio do governo de Biden ao escritório de Bachelet para promover e proteger os direitos humanos em todo o mundo, sublinhando a importância de investigações independentes nesse âmbito.

Além disso, Thomas-Greenfield abordou com a responsável da ONU o regresso dos EUA ao Conselho de Direitos Humanos do organismo, órgão que tinha abandonado durante a Administração de Donald Trump e ao qual voltou com o atual executivo.

Leia Também: ONU pede "ação política concertada" na disponibilização de vacinas

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório