Meteorologia

  • 25 SETEMBRO 2021
Tempo
21º
MIN 16º MÁX 23º

Edição

Líbia: Guterres recomenda estabelecer "observadores" junto da ONU

O secretário-geral da ONU recomenda a criação de uma "componente de observadores" do fim das hostilidades na missão MANUL na Líbia, paralelamente ao "mecanismo de vigilância do cessar-fogo" dirigido e controlado pelos líbios, num relatório divulgado hoje.

Líbia: Guterres recomenda estabelecer "observadores" junto da ONU
Notícias ao Minuto

16:46 - 31/03/21 por Lusa

Mundo Líbia

No documento, datado de 22 de março, entregue ao Conselho de Segurança, António Guterres não precisa o número de observadores da ONU necessários.

Guterres apela ao Conselho de Segurança para dar à Missão de Apoio das Nações Unidas à Líbia "um mandato claro, mas flexível, apoiado por recursos adicionais" para que a ONU possa apoiar o "estabelecimento na Líbia de observadores da MANUL".

Estes "eventualmente operariam em Sirte e arredores, assim como noutras zonas, caso necessário", adianta.

A proposta é que "a componente de vigilância do cessar-fogo da MANUL não seja integrada no mecanismo de vigilância do cessar-fogo dirigido e controlado pela Líbia, mas trabalhe em estreita coordenação com a Comissão militar conjunta (5+5 líbia) e os subcomités conjuntos", segundo Guterres.

"O papel dos observadores da MANUL limitar-se-á à vigilância das violações do acordo assinaladas ao mecanismo de vigilância do cessar-fogo pelos observadores nacionais e outras fontes locais", precisa o secretário-geral da ONU.

Adianta que a componente de observadores da MANUL "também contribuirá para a formação dos observadores nacionais".

"As partes líbias devem comprometer-se em proteger em qualquer momento o pessoal, o equipamento e as instalações da Organização das Nações Unidas", exige António Guterres.

O responsável da ONU também não indica o número dos observadores da organização que poderão ficar à disposição do "mecanismo de vigilância do cessar-fogo dirigido e controlado pela Líbia", sediado em Sirte (centro). Segundo diplomatas, poderão ser cinco a trabalhar com 10 líbios.

A expectativa dos líbios é que o mecanismo dê "prioridade à abertura da estrada costeira entre Sirte e Abu Qrein (cerca de 120 quilómetros), a que se seguirá a retirada dos combatentes estrangeiros e mercenários", indica.

Acrescenta que a contribuição para o dispositivo líbio por parte de organizações como a União Africana, União Europeia e Liga Árabe "deve ser dada por intermédio da Organização das Nações Unidas".

Depois da queda do regime de Muammar Kadhafi em 2011, a Líbia mergulhou no caos, com divisões e lutas de influência no contexto de ingerências estrangeiras.

No início deste mês foi aprovado pelo parlamento um novo governo de unidade, nascido de um processo mediado pela ONU, e que tem por missão conduzir o país até às eleições nacionais a 24 de dezembro.

Leia Também: Perto de mil pessoas intercetadas e reenviadas para a Líbia em dois dias

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório