Meteorologia

  • 26 JUNHO 2022
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 22º

Empresa de energia sul-africana Eskom investiga acusações de racismo

A empresa estatal sul-africana de energia Eskom, mergulhada em dívidas após anos de corrupção, enfrenta agora acusações de racismo e anunciou hoje que abriu uma investigação após declarações que implicam o seu administrador.

Empresa de energia sul-africana Eskom investiga acusações de racismo
Notícias ao Minuto

15:44 - 09/03/21 por Lusa

Mundo Racismo

Um alto funcionário da empresa acusou recentemente Andre de Ruyter, perante uma comissão parlamentar que estudava as contas anuais do fornecedor de eletricidade, de despedir os fornecedores negros.

André de Ruyter assumiu o cargo de chefe da Eskom em janeiro de 2020, após mais uma demissão deste cargo.

"Estas acusações desacreditam a Eskom", lamentou o conselho de administração da empresa numa declaração hoje, depois de inicialmente tentar defender a sua gestão.

Ainda existem tensões raciais na África do Sul, vestígios do regime do apartheid, que terminou há quase 30 anos.

A Eskom, a maior companhia de eletricidade do continente, está a lutar para acabar com os apagões que estão a impedir o crescimento económico no país mais industrializado de África.

Encarregado de melhorar o seu desempenho, De Ruyter enfrenta os danos causados por anos de corrupção, má gestão e despesas excessivas que resultaram em milhares de milhões de euros de dívida, apesar de múltiplos salvamentos governamentais.

O antecessor de Ruyter, Phakamani Hadebe, tinha desistido do cargo devido às "exigências inimagináveis" destas funções, tornando-se o décimo presidente a deixar a empresa na última década.

Leia Também: Facebook acusado de racismo sistémico em recrutamento

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório