Meteorologia

  • 26 SETEMBRO 2021
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 24º

Edição

Michel promete à Ucrânia envolvimento pessoal para facilitar vacinas

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, vai envolver-se pessoalmente para acelerar o fornecimento de vacinas à Ucrânia, que iniciou em fevereiro a campanha de vacinação da população, mas com o envio de quantidades muito reduzidas.

Michel promete à Ucrânia envolvimento pessoal para facilitar vacinas
Notícias ao Minuto

15:11 - 03/03/21 por Lusa

Mundo Covid-19

"Vou comprometer-me pessoalmente para acelerar a entrega", assinalou o líder comunitário em conferência de imprensa conjunta com o Presidente da Ucrânia Volodymyr Zelensky, que em diversas ocasiões exortou as instituições comunitárias e os países membros a ajudarem o país no acesso às vacinas.

"Reafirmei a solidariedade da União Europeia [UE] com os ucranianos face à covid-19", sublinhou Michel, que hoje visitou em Kiev um centro de vacinação contra o coronavírus na Ucrânia, onde se registaram desde o início da pandemia quase 1,4 milhões de casos confirmados e mais de 26.300 mortos.

"É nosso firme compromisso permanecermos unidos nestes tempos difíceis", sublinhou o belga, antes de recordar que a UE forneceu à Ucrânia 190 milhões de euros para o combate contra a covid-19, para além dos 1,2 mil milhões de euros de ajuda macrofinanceira.

"Estamos a ajudar a Ucrânia a obter acesso às vacinas contra a covid-19. A plataforma COVAX, com o apoio massivo da UE, reservou uma quantidade significativa de vacinas à Ucrânia. Comprometo-me pessoalmente a acelerar a entrega", prometeu.

A Ucrânia, que rejeita as vacinas russas, recebeu até ao momento 500.000 doses da vacina Covishield, um preparado da Universidade de Oxford e AstraZeneca produzido na Índia.

Zelensky, que também se vacinou na terça-feira com este fármaco, recordou que a Ucrânia deverá receber em finais do segundo trimestre até 3,2 milhões de doses da AstraZeneca e 117.000 doses da vacina da Pfizer no âmbito do programa COVAX, que financia a investigação de vacinas anti-covid em troca da sua distribuição a baixo preço por todo o planeta.

O líder ucraniano explicou que também falou com o Presidente da Polónia, Andrzej Duda, de quem espera mais de um milhão de doses da vacina da AstraZeneca, e que Kiev está a promover contactos diretos com farmacêuticas para comprar mais vacinas.

A campanha de vacinação iniciou-se na Ucrânia em 24 de fevereiro e "de momento o ritmo de vacinação é bom", assinalou.

O líder de Kiev explicou ainda que até ao momento estão inscritas 40.000 pessoas para serem vacinadas, mas pretende ampliar esta campanha à generalidade da população, num país com cerca de 41 milhões de habitantes.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.549.910 mortos no mundo, resultantes de mais de 114,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.430 pessoas dos 806.626 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia Também: UE manterá sanções contra Rússia por envolvimento no conflito ucraniano

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório