Meteorologia

  • 28 FEVEREIRO 2021
Tempo
10º
MIN 9º MÁX 19º

Edição

Biden e Trudeau analisam 3.ª-feira comércio bilateral e luta contra Covid

O comércio bilateral e a luta contra a covid-19 vão centrar terça-feira a primeira reunião bilateral do Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, com um líder estrangeiro, o primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, a realizar por videoconferência.

Biden e Trudeau analisam 3.ª-feira comércio bilateral e luta contra Covid
Notícias ao Minuto

19:02 - 22/02/21 por Lusa

Mundo EUA/Canadá

O encontro virtual, que se espera ter a duração de uma hora, substitui a tradicional primeira viagem ao estrangeiro que um novo ocupante da Casa Branca costuma efetuar pouco depois de assumir a presidência dos Estados Unidos.

Historicamente, os Presidentes norte-americanos elegeram o Canadá como a primeira viagem ao estrangeiro face à importância da relação bilateral: Washington e Otava são os dois maiores parceiros comerciais do mundo -- em 2019, o comércio de bens e serviços entre os dois países foi de 750.000 milhões de dólares (618.816 milhões de euros), cerca de 2.000 milhões de dólares (1.650 milhões de euros) por dia.

No entanto, recorda a agência noticiosa espanhola EFE, nos últimos anos, o Canadá e o México têm lutado por essa primeira viagem e, em 2017, o então Presidente norte-americano Donald Trump rompeu a tradição ao visitar a Arábia Saudita para reunir-se com o rei saudita da altura, Salman bin Abdulaziz.

A decisão de Biden em manter o primeiro encontro internacional com o Canadá, através de Trudeau, marca também as divergências entre o Presidente norte-americano e o do México, Andrés Manuel Lopez Obrador.

A 07 de novembro, Trudeau apressou-se a felicitar Biden pela vitória nas eleições presidenciais realizadas quatro dias antes e, dois dias depois, foi o primeiro líder internacional a falar com o líder norte-americano.

A rapidez e a contundência do apoio de Trudeau a Biden contrastou com a atitude de Lopez Obrador, que se negou a reconhecer a vitória, à espera que Trump aceitasse a derrota ou que os tribunais decidissem sobre os múltiplos pedidos de impugnação aos resultados apresentados pelo republicano.

Um dos principais temas da agenda de terça-feira é precisamente o comércio bilateral e o efeito da política "comprar norte-americano" de Biden e que tem como objetivo favorecer as empresas dos Estados Unidos em detrimento das de outros países.

O Canadá quer que a Casa Branca isente as empresas canadianas dos novos impostos e regulamentos por causa da profunda relação económica entre os dois países.

Otava tem destacado que as empresas canadianas que operam nos Estados Unidos empregam de forma direta 725.000 trabalhadores norte-americanos e que o Canadá é o principal fornecedor energético de Washington.

Outro ponto de discussão, este de divergência, é a decisão de Biden cancelar o projeto do oleoduto Keystone XL, que tinha aumentado as exportações do crude canadiano para as refinarias dos Estados Unidos.

Sábado passado, o primeiro-ministro canadiano adiantou que pretende também analisar com Biden a luta contra a pandemia de covid-19, que tem mantido a extensa fronteira entre os dois países encerrada a todas as viagens não essenciais desde a primavera de 2020.

Na esfera internacional, Trudeau disse também que vai abordar com o chefe de Estado norte-americano a situação de Michael Kovrig e de Michel Spavor, dois cidadãos canadianos detidos em dezembro de 2019 pela China como represália pela detenção no Canadá, a pedido dos Estados Unidos, da diretora financeira da empresa chinesa Huawei, Meng Wanzhou.

As detenções desencadearam uma grave crise diplomática entre Otava e Pequim, com o Canadá a tentar obter a libertação de Kovrig e Spavor com a ajuda da pressão internacional.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório