Meteorologia

  • 27 FEVEREIRO 2021
Tempo
15º
MIN 12º MÁX 19º

Edição

Irão admite enriquecimento de urânio a 60% "em caso de necessidade"

O Irão poderá enriquecer o urânio a 60% em caso de necessidade, declarou hoje o guia supremo iraniano, Ali Khamenei.

Irão admite enriquecimento de urânio a 60% "em caso de necessidade"
Notícias ao Minuto

18:15 - 22/02/21 por Lusa

Mundo Irão

"O limite de enriquecimento de urânio não será de 20%. Agiremos segundo as necessidades (...). Podemos aumentar o enriquecimento a 60%", afirmou, segundo um comunicado divulgado na sua página digital oficial.

A declaração de Khamenei surge na véspera da entrada em vigor de uma lei destinada a limitar as capacidades de inspeção das suas atividades nucleares face à manutenção das sanções norte-americanas.

A lei do parlamento iraniano exige ao Governo que limite determinadas inspeções da agência nuclear da ONU (AIEA) às instalações não nucleares, incluindo locais militares suspeitos, caso os Estados Unidos não levantem a suas sanções impostas ao Irão após a retirada unilateral de Washington do acordo nuclear de 2015.

Desde o início de janeiro, e nos termos da mesma lei, o Executivo iraniano relançou as atividades de enriquecimento de urânio a um nível de 20%, semelhante ao que o país praticava antes do acordo.

O Governo "não abandonou os seus compromissos e reduziu progressivamente alguns deles, que ainda são reversíveis no caso de [as restantes partes do acordo] regressarem às suas responsabilidades", disse Khamenei. "Os ocidentais sabem bem que não procuraremos [fabricar] armas nucleares".

Um aumento do enriquecimento do urânio a 60% aproximaria a República islâmica dos 90% necessários para o fabrico de uma bomba atómica. O Irão tem negado por diversas vezes pretender munir-se da arma nuclear.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório