Meteorologia

  • 02 DEZEMBRO 2021
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 15º

Edição

Médicos querem suspensão de patentes de equipamentos médicos

A organização de ajuda humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) defendeu hoje uma suspensão das patentes relativas aos equipamentos médicos necessários para combater a pandemia de covid-19, pedindo que não bloqueiem a proposta na Organização Mundial do Comércio (OMC).

Médicos querem suspensão de patentes de equipamentos médicos

"Na véspera da próxima ronda de negociações na OMC para discutir uma proposta da África do Sul e da Índia para prescindir dos monopólios dos equipamentos médicos contra a covid-19 durante a pandemia, os MSF pediram aos países ricos que se opõem à proposta para não a bloquearem e com isso arruinarem o salvamento potencial de milhares de milhões de pessoas no resto do mundo", lê-se num comunicado hoje enviado à Lusa.

Em causa está a existência de patentes de propriedade intelectual para determinados produtos e equipamentos médicos, que impedem que outros fabricantes para além da empresa original possam produzir esse material, que é usado para combater a pandemia de covid-19.

"Temos uma mensagem simples para os governos que se opõem à proposta sobre o fim deste monopólio: por favor não a bloqueiem; não temos um terreno de jogo equilibrado, por isso mesmo que vocês não precisem ou não concordem, não impeçam outros países de beneficiar desta isenção que permite proteger o seu próprio povo, porque esta pandemia não vai acabar até ter acabado para toda a gente", escreveu o diretor executivo da Campanha de Acesso dos MSF, Sidney Wong.

Esta proposta, lê-se ainda no comunicado, "pretende permitir que os países possam escolher não implementar as regras da propriedade intelectual e outras exclusividades que podem impedir a produção e a distribuição de equipamentos médicos relacionados com a covid-19".

Suspender as regras da propriedade intelectual para estes produtos "daria um sinal crucial aos potenciais produtores que podem começar a produzir equipamentos médicos essenciais contra a covid-19 sem receio de a sua produção ser bloqueada por patentes ou outros monopólios", acrescenta-se no comunicado.

A proposta, apresentada por vários países em desenvolvimento, entre eles Moçambique e Quénia, para além de Paquistão, Mongólia, Venezuela, Egito e Bolívia, tem enfrentado a oposição de um grupo de membros, entre os quais se contam os Estados Unidos, Reino Unido, União Europeia, Japão, Suíça e Austrália.

"É absolutamente claro que esta suspensão do monopólio pretende dar prioridade às vidas humanas sobre o lucro privado, por isso pedimos aos países para agirem rápido e tornarem esta proposta uma realidade", comentou o representante dos MSF na África do Sul, Khosi Mavuso, o país mais afetado pela pandemia na África subsaariana.

A pandemia de covid-19 fez, pelo menos, 2.253.813 mortos no mundo desde que a doença foi detetada em dezembro de 2019 na China, segundo o balanço da France Presse com base em dados oficiais até às 11:00 de hoje.

Desde o início da pandemia mais de 103.827.020 de infeções foram oficialmente diagnosticadas sendo que, desse total, 63.195.000 pessoas foram consideradas curadas.

Leia Também: Covid-19. Mais 240 mortos e 9.083 novos casos nas últimas 24 horas

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório