Meteorologia

  • 21 OUTUBRO 2021
Tempo
18º
MIN 15º MÁX 22º

Edição

Nova estirpe. Brasil proíbe entrada de pessoas da África do Sul

O Brasil proibiu, por tempo indeterminado, a entrada de viajantes da África do Sul e restringiu o fluxo de estrangeiros que entram no país por terra ou mar, devido ao avanço das novas estirpes do novo coronavírus.

Nova estirpe. Brasil proíbe entrada de pessoas da África do Sul
Notícias ao Minuto

14:28 - 26/01/21 por Lusa

Mundo Covid-19

A medida foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) e proíbe temporariamente voos internacionais com origem ou passagem pela África do Sul e suspende a autorização de embarque para o Brasil de viajantes estrangeiros daquele país africano.

A medida surge como resultado da preocupação com o avanço das novas estirpes do vírus que causa a covid-19 detetadas e junta-se a uma proibição semelhante adotada em dezembro passado, quando o Brasil suspendeu temporariamente os voos do Reino Unido, que continuam proibidos.

Outros estrangeiros podem entrar país por via aérea, desde que verifiquem, através de um teste de RT-PCR feito até 72 horas antes do embarque, que não estão infetados com o novo coronavírus.

No entanto, numa altura de disseminação acelerada da segunda vaga da pandemia, o Brasil anunciou que manterá "restrições temporárias" à entrada de estrangeiros de qualquer nacionalidade por via terrestre e marítima.

As medidas serão enquadradas nas recomendações do órgão regulador da saúde diante dos riscos potenciais das duas estirpes do novo coronavírus originalmente detetadas no Reino Unido e na África do Sul, ambas consideradas muito mais contagiosas.

A regulamentação não se aplica aos residentes do Paraguai, que podem continuar a circular entre os dois países "desde que cumpridos os requisitos de imigração pertinentes", nem às cidades fronteiriças, com exceção dos viajantes da Venezuela.

Com quase 218 mil mortos e 8,8 milhões de infetados, o Brasil é, junto com os Estados Unidos e a Índia, um dos países mais afetados pela pandemia covid-19.

O país, que completou onze meses da confirmação do primeiro caso da doença nesta terça-feira, passa por uma segunda vaga de contaminações desde dezembro e voltou a registar uma média acima de mil mortes por dia, o seu nível mais alto em cinco meses.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.140.687 mortos resultantes de mais de 99,6 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório