Meteorologia

  • 02 MARçO 2021
Tempo
10º
MIN 8º MÁX 18º

Edição

Dezenas de pessoas presas em manifestações em apoio ao opositor na Rússia

Dezenas de pessoas foram presas hoje durante manifestações organizadas na Rússia para exigir a libertação do opositor Alexei Navalny, que está em prisão preventiva, apesar das múltiplas ameaças das autoridades contra os protestos.

Dezenas de pessoas presas em manifestações em apoio ao opositor na Rússia
Notícias ao Minuto

09:37 - 23/01/21 por Lusa

Mundo Navalny

De Moscovo a Novosibirsk, a equipa do ativista anticorrupção fez apelos para que as pessoas saíssem às ruas em 65 cidades russas para protestarem contra a prisão de Navalny.

As primeiras manifestações ocorreram hoje no Extremo Oriente russo e na Sibéria, onde vários milhares de pessoas tomaram as ruas, principalmente em Vladivostok, Khabarovsk e Tchita, diante de um grande número de polícias antimotim deslocados para os locais dos protestos, de acordo com apoiantes de Navalny.

Em Yakutsk, ao sul do Círculo Polar, os manifestantes enfrentaram o frio extremo para se manifestarem, com -50 graus Celsius.

Cerca de 125 manifestantes já foram presos em 20 cidades russas por volta das 08:00 (em Lisboa), de acordo com a organização não-governamental OVD-info, especializada em monitorar prisões paralelas às manifestações.

Um vídeo divulgado pela OVD-info mostrou dezenas de polícias antimotim a correr atrás dos manifestantes em Vladivostok.

Em Moscovo, onde a mobilização da oposição costuma ser mais forte, os manifestantes devem se reunir às 11:00 (em Lisboa) na Praça Pushkin e, em seguida, seguir por uma rua central da capital em direção ao Kremlin.

A polícia de Moscovo já prometeu "reprimir sem demora" qualquer reunião não autorizada. O autarca de Moscovo, Sergei Sobyanin, denunciou as manifestações como "inaceitáveis" em meio à pandemia do novo coronavírus.

No Instagram, a esposa de Navalny, Yulia, anunciou a sua intenção de manifestar-se em Moscovo.

Entre quinta e sexta-feira vários apoiantes de Navalny foram detidas pelas autoridades russas, nomeadamente a porta-voz do ativista, Kira Iarmych, que foi condenada a nove dias de prisão.

Alexei Navalny foi preso em 17 de janeiro ao voltar à Rússia, depois de cinco meses de convalescença na Alemanha devido a um envenenamento, acusado de violar as medidas de controlo judicial (por estar em condicional, relacionada a outro processo na justiça russa) ao sair do país.

Vários instituições e países já apelaram para a libertação imediata do opositor russo.

Leia Também: Navalny: Justiça russa condena porta-voz do opositor a 9 dias de prisão

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório