Meteorologia

  • 03 MARçO 2021
Tempo
19º
MIN 10º MÁX 21º

Edição

Em Manaus, há quem não abdique de ver jogos em bares. 63 pessoas detidas

Estado do Amazonas determinou o recolher obrigatório após o colapso dos hospitais por causa da pandemia da Covid-19.

Em Manaus, há quem não abdique de ver jogos em bares. 63 pessoas detidas

As autoridades brasileiras detiveram, na noite de quinta-feira, 63 pessoas que assistiam a um jogo de futebol numa zona de bares, na em Manaus, violando assim as regras do recolher obrigatório imposto naquele estado.

A polícia atuou no seguimento de denúncias a dar conta da situação, refere o portal G1.

Entre os detidos estão clientes e proprietários dos espaços que se mantiveram a funcionar, permitindo aquele ajuntamento em plena pandemia.

De recordar que as autoridades do estado do Amazonas, no norte brasileiro, anunciaram no passado dia 14 um toque de recolher obrigatório devido à saturação dos hospitais, sobrecarregados pelo fluxo de pacientes com Covid-19 e com graves problemas de abastecimento de oxigénio.

Além do recolher obrigatório, todas as atividades, exceto serviços essenciais, estão encerradas.

O recrudescimento da pandemia em Manaus, capital do Amazonas, estado quase totalmente coberto pela floresta Amazónia, agravou a situação dentro de hospitais e há relatos de falta de oxigénio para tratar pacientes com covid-19.

O investigador Jesem Orellana, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) na Amazónia, afirmou à agência de notícias France-Presse que "não há mais oxigénio nos hospitais e alguns pacientes estão à beira da asfixia".

"Estamos no momento mais crítico da pandemia", admitiu por sua vez o governador Wilson Lima.

"A nossa região produz uma grande quantidade de oxigénio (graças à floresta Amazónia), mas hoje é a nossa população que precisa de oxigénio e solidariedade", acrescentou o político, salientando que muitos pacientes serão transferidos para outros estados.

Apenas nos primeiros 12 dias de janeiro, o recorde mensal de novas hospitalizações por covid-19 foi ultrapassado (2.221, face às 2.128 registadas em abril).

A taxa de mortalidade do novo coronavírus é de 142 por cada 100 mil habitantes no Amazonas, muito acima da média nacional (98 por 100 mil).

"Aqui não há mais camas de hospitais vazias, não há mais tanques de oxigénio, nada. É só ter fé", disse Luiza Castro, residente em Manaus.

Imagens que circulam nas redes sociais mostram as próprias famílias de pacientes a transportar para os hospitais tanques de oxigénio que adquiriram por conta própria.

Os Estados Unidos são o país mais afetado pela pandemia em termos de mortes e casos, com 410.378 mortes para 24.632.468 casos, de acordo com o levantamento realizado pela Universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil com 214.147 mortes e 8.697.368 casos, a Índia com 153.032 óbitos (10.625.428 casos), o México com 146.174 mortes (1.711.283 casos) e o Reino Unido com 95.829 óbitos (3.543.646 casos).

Leia Também: AO MINUTO: Portugal bate novo recorde e ultrapassa os 600 mil casos

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório