Meteorologia

  • 10 ABRIL 2021
Tempo
16º
MIN 14º MÁX 18º

Edição

Von der Leyen pede ação urgente para clima para evitar "era de pandemias"

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, salientou hoje que se não se "agir com urgência" para mitigar os efeitos do aquecimento global, o mundo pode estar a entrar "no início de uma era de pandemias".

Von der Leyen pede ação urgente para clima para evitar "era de pandemias"
Notícias ao Minuto

15:43 - 11/01/21 por Lusa

Mundo Clima

"Se não agirmos com urgência para protegermos a nossa natureza, podemos já estar no início de uma era de pandemias", sublinhou Ursula von der Leyen durante uma intervenção na cimeira 'Um planeta para a biodiversidade', organizada pelo Presidente francês, Emmanuel Macron.

Referindo que "quando as temperaturas aumentam e a natureza desaparece", o mundo sofre "mais desastres naturais e doenças zoonóticas", Von der Leyen salientou que a atual pandemia de covid-19 não é nem "o primeiro, o último" exemplo da ligação entre a perda de biodiversidade e o surgimento de novas doenças.

"Pensem em como um dos surtos mais mortíferos da Ébola terá começado com uma criança a brincar perto de uma árvore numa aldeia remota da Guiné-Conacri, uma árvore infestada de morcegos que tinham sido empurrados para a aldeia porque 80% das florestas na região tinham sido destruídas. Todos sabemos as trágicas repercussões que isso teve", frisou a presidente do executivo comunitário.

Von der Leyen realçou, no entanto, que "se pode fazer algo" para contrariar este cenário e apelou a uma "ação global concertada" e a um "desenvolvimento local sustentado".

Dando o exemplo da iniciativa "Grande Muralha Verde" lançada pela União Africana -- que procura restaurar terras degradadas numa área que compreende oito mil quilómetros entre o Senegal e o Djibuti -- a presidente da Comissão Europeia sublinhou que a União Europeia (UE) tem de trabalhar com parceiros na luta contra o aquecimento global e "fazer mais".

"Ser uma grande economia e uma superpotência no comércio, acarreta responsabilidades e é o nosso dever assegurar que o mercado único não favorece a desflorestação. (...) Iremos liderar com ambição e ação em casa e faremos tudo ao nosso alcance para envolver o maior número de parceiros possível", sublinhou Von der Leyen.

A presidente da Comissão realçou ainda que as "exigências não podiam ser maiores" e "a necessidade imperiosa de agir mais convincente" e destacou o ano de 2021 como um "ano histórico".

"Todos sabemos a magnitude e a urgência das tarefas [climáticas] que temos diante de nós este ano e as mudanças que podem operar nas nossas vidas quotidianas", frisou.

A cimeira 'Um planeta para a biodiversidade' é uma cimeira organizada pelo Presidente francês, Emmanuel Macron, que teve a sua primeira edição em dezembro de 2017.

Este ano conta com a presença, entre outros e além de Ursula von der Leyen, da chanceler alemã, Angela Merkel, do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, e do presidente do Conselho Europeu, Charles Michel.

Leia Também: Fundos comunitários "nunca mais" vão financiar sistemas deficitários

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório