Meteorologia

  • 27 JANEIRO 2021
Tempo
15º
MIN 13º MÁX 19º

Edição

Seis soldados franceses feridos no Mali num ataque suicida

Seis soldados da força antijihadista Barkhane foram hoje feridos no Mali por um veículo bomba suicida, o terceiro ataque desde finais de dezembro contra os militares franceses, informou o Estado-Maior do Exército.

Seis soldados franceses feridos no Mali num ataque suicida
Notícias ao Minuto

23:17 - 08/01/21 por Lusa

Mundo Mali

No último mês os militares franceses já sofreram cinco baixas.

Na zona conhecida como as três fronteiras (Mali, Níger e Burkina Faso) "um veículo desconhecido deslocou-se a alta velocidade" em direção à retaguarda de uma caravana com soldados malianos, segundo o comunicado divulgado.

"Um veículo blindado de combate de infantaria (VBCI) interveio para proteger os outros elementos da força. Perante esta manobra, o condutor (...) acionou a carga explosiva", precisa a nota hoje emitida pelo Estado-Maior francês. "Seis soldados franceses foram feridos, mas o seu prognóstico não é conhecido", acrescenta o comunicado.

Os militares feridos foram transportados de helicóptero para o hospital militar de Gao. Três deles serão repatriados no sábado para França.

O Exército francês tem destacados 5.100 elementos no Sahel, com os exércitos do G5 Sahel (Mauritânia, Mali, Chade, Burkina Faso e Níger).

Em 02 de janeiro, dois soldados, um homem e uma mulher, foram mortos num veículo blindado ligeiro (LAV) por um "dispositivo explosivo improvisado", durante uma missão de reconhecimento e inteligência.

Cinco dias antes, três soldados foram também vítimas de um engenho explosivo improvisado. Estas mortes aumentam para 50 o número de soldados franceses mortos no Sahel desde 2013 nas operações antijihadistas Serval e depois Barkhane.

Os dois ataques mortais foram reivindicados pelo Grupo de Apoio ao Islão e aos Muçulmanos (GSIM), filiado na Al Qaeda.

Os exércitos francês e maliano estão também no centro de uma controvérsia sobre um ataque aéreo ocorrido no domingo, com as autoridades malianas e francesas a assegurarem que a ação da força aérea francesa no Mali atingiu apenas jihadistas, embora a população local relate a existência de vítimas civis numa festa de casamento, causando a morte a cerca de 20 pessoas na aldeia de Bounti.

"Todas as informações de inteligência e em tempo real permitiram identificar formalmente este grupo como pertencente a um GAT [grupo terrorista armado]", assegura o Estado Maior francês, segundo o qual a operação aconteceu numa área isolada e a "mais de um quilómetro a norte das primeiras casas em Bounti".

Há alguns meses que a França tem vindo a equacionar reduzir as suas tropas na região. Está prevista uma cimeira para meados de fevereiro entre Paris e os seus parceiros sahelianos para avaliar a situação, um ano após a Cimeira de Pau (sul de França).

Leia Também: Médicos Sem Fronteiras confirmam bombardeamentos a duas aldeias no Mali

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório