Meteorologia

  • 27 JANEIRO 2021
Tempo
15º
MIN 13º MÁX 19º

Edição

Golfo Pérsico. Guarda Revolucionária revela base de mísseis subterrânea

A Guarda Revolucionária do Irão revelou hoje a existência de uma base subterrânea de mísseis na costa do Golfo Pérsico, anúncio feito numa altura em que está a subir a tensão do país com os Estados Unidos.

Golfo Pérsico. Guarda Revolucionária revela base de mísseis subterrânea
Notícias ao Minuto

15:13 - 08/01/21 por Lusa

Mundo Irão

O comandante nacional do corpo militar de elite do Irão, Hussein Salami, explicou numa cerimónia que o complexo é "um dos vários" que contêm os mísseis estratégicos da Força Naval da Guarda Revolucionária.

"A nossa lógica é ser fortes para defender a integridade territorial, a independência e os sucessos da Revolução Islâmica", sublinhou Salami, após uma visita às instalações da base, transmitida na televisão estatal iraniana.

Salami indicou que os mísseis têm um alcance de "centenas de quilómetros" e que são de "uma precisão milimétrica" e com "um alto poder destrutivo", sendo ainda capazes de "resistir ao equipamento de guerra eletrónica do inimigo", numa alusão aos Estados Unidos, a quem acusou de querer manter os "interesses hegemónicos" na região da Ásia Ocidental.

A construção de bases sob a terra começou no Irão há mais de três décadas, com o argumento da necessidade de proteger a capacidade militar. As primeiras imagens de "uma cidade militar de mísseis" foram divulgadas em 2015.

Este mês, a escalada da tensão com os Estados Unidos coincidiu com o primeiro aniversário da morte do poderoso comandante iraniano Qasem Suleimani na sequência de um bombardeamento dos Estados Unidos, o que levou Washington a temer ações de represália.

Desde maio de 2019 que o Golfo Pérsico tem sido cenário de numerosos incidentes, entre eles o derrube de um 'drone' [aparelho aéreo não-tripulado] norte-americano por um míssil da Guarda revolucionária iraniana.

O líder supremo iraniano, Ali Khamenei, destacou hoje que, atualmente, "o poder defensivo [do país] está a um nível tal que os inimigos se veem obrigados a ter em conta as capacidades do Irão".

"Não devemos deixar o país indefeso. Não devemos fazer nada que permita que o inimigo se atreva a abalar a segurança e a integridade da República Islâmica", afirmou Khamenei.

Leia Também: Cinco países exigem indemnizações a Teerão pelo abate do avião ucraniano

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório