Meteorologia

  • 22 JANEIRO 2021
Tempo
14º
MIN 10º MÁX 15º

Edição

Parlamento francês condena Governo pela gestão da crise sanitária

Uma comissão de inquérito no parlamento francês denunciou hoje uma "gestão deficiente da crise" de covid-19 por parte do Governo, depois de seis meses de audiências sobre a pandemia, que já matou mais de 53.000 pessoas em França.

Parlamento francês condena Governo pela gestão da crise sanitária
Notícias ao Minuto

15:16 - 02/12/20 por Lusa

Mundo Covid-19

O partido do Presidente, A República em Marcha (LREM, na sigla francesa) denunciou imediatamente o relatório "parcial e tendencioso" desta comissão de inquérito da Assembleia Nacional, liderada pela oposição de direita.

A França estava "mal armada" perante a pandemia que começou no início do ano, afirmou o líder dos deputados Republicanos (LR, na sigla francesa) Damien Abad.

A gestão da crise foi "caótica" e revelou "falhas estruturais", acrescentou à imprensa Eric Ciotti, redator da LR da comissão de inquérito.

A comissão de inquérito aprovou hoje de manhã o relatório, que aponta para uma série de falhas das autoridades públicas antes e durante a crise de saúde, mas sem os votos dos deputados LREM, que se abstiveram. Todos os outros membros votaram a favor.

O relatório deve ser divulgado oficialmente daqui a cinco dias, prazo para a recolha de observações dos grupos políticos.

No total, a comissão de inquérito fez mais de 50 audiências, incluindo a do ex-primeiro-ministro, Edouard Philippe, e vários ministros da Saúde sucessivos, que duraram cerca de 130 horas no total.

A comissão de inquérito "não foi um tribunal popular, nem um tribunal judicial" e não há "interrogatório pessoal", assegurou o relator Eric Ciotti.

Desde o início da pandemia da covid-19, o Executivo francês tem sido alvo de acusações por alegadamente pôr em risco a vida de terceiros ou por homicídio involuntário.

No total, foram apresentadas 96 queixas contra ministros perante o Tribunal de Justiça da República, o único que tem competência para julgar os atos cometidos por membros do Governo no exercício das suas funções.

A França é o "quarto entre os países mais afetados da Europa", observou Ciotti.

"Há países que têm lidado melhor do que outros", insistiu, com números corroborantes: a média de União Europeia foi de 532 mortes por um milhão de habitantes, enquanto a média francesa atingiu as 727 mortes.

"Vemos falta de antecipação e subestimação do risco da pandemia, queda nos 'stocks' estratégicos, [com] problemas de fornecedores" não diversificados o suficiente, apontou Damien Abad.

Abad lembrou ainda as "mensagens contraditórias sobre máscaras, falhas na política de testes" e até mesmo os "grandes esquecidos" que eram os lares de idosos e pacientes não covid-19 durante a crise sanitária.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.482.240 mortos resultantes de mais de 63,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório