Meteorologia

  • 24 JANEIRO 2021
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 17º

Edição

Escritor espanhol César António Molina recorda "grande pensador europeu"

O escritor espanhol galardoado com o Prémio Eduardo Lourenço 2010, César António Molina, recorda o filósofo português como "um grande pensador europeu", que colocava "sempre" Portugal "num lugar de honra da cultura europeia".

Escritor espanhol César António Molina recorda "grande pensador europeu"
Notícias ao Minuto

14:49 - 01/12/20 por Lusa

Mundo Óbito

"Era uma pessoa encantadora, amável, culta e, para mim, é uma grande, grande perda", disse à agência Lusa César António Molina que entre as muitas funções que já ocupou também foi diretor do Instituto Cervantes (correspondente ao Instituto Camões em Portugal) e ministro da Cultura do Governo socialista de José Luís Zapatero.

O Professor, filósofo, escritor, crítico literário, ensaísta, Conselheiro de Estado, interventor cívico, várias vezes galardoado e distinguido, Eduardo Lourenço morreu hoje, em Lisboa, aos 97 anos.

Molina reconhece que Eduardo Lourenço não é conhecido em Espanha como outros escritores portugueses o são, "como José Saramago por exemplo", mas realça que "é muito conhecido e respeitado no âmbito universitário".

O escritor espanhol também sublinhou que o filósofo português "representou Espanha e Portugal na Europa", porque era "um iberista que colocava a Península Ibérica no papel que deve ocupar na Europa".

Eduardo Lourenço Faria nasceu em 23 de maio de 1923, em S. Pedro do Rio Seco, no concelho de Almeida, distrito da Guarda, e morreu hoje, em Lisboa, aos 97 anos.

Prémio Camões e Prémio Pessoa, recebeu também o Prémio Europeu de Ensaio Charles Veillon, o Prémio da Academia Francesa, e foi agraciado com as Grã-Cruz da Ordem de Sant'Iago da Espada da Ordem do Infante D. Henrique e da Ordem da Liberdade.

Foi ainda nomeado Oficial da Legião de Honra da França e consagrado doutor 'Honoris Causa' pelas universidades do Rio de Janeiro, de Coimbra, Nova de Lisboa e de Bolonha.

Autor de mais de 40 títulos, que testemunham "um olhar inquietante sobre a realidade", como destacaram os seus pares, tem em "Os Militares e o Poder", "Labirinto da Saudade", "Fernando, Rei da Nossa Baviera" e "Tempo e Poesia" algumas das suas principais obras.

Instituído em 2004, o Prémio Eduardo Lourenço, destina-se a galardoar personalidades ou instituições de língua portuguesa ou espanhola que tenham sido protagonistas de uma intervenção relevante e inovadora no âmbito da cooperação e no domínio das identidades, das culturas e das comunidades ibéricas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório