Meteorologia

  • 21 JANEIRO 2021
Tempo
13º
MIN 13º MÁX 17º

Edição

Macau defende que todos os cidadãos devem zelar pela segurança do país

O secretário para a Segurança de Macau afirmou hoje que é obrigação de todo o cidadão chinês zelar pela segurança do país, e defendeu que o Governo deve prevenir situações que coloquem em risco a segurança interna.

Macau defende que todos os cidadãos devem zelar pela segurança do país

"Todo o cidadão chinês tem de zelar pela segurança nacional", disse Wong Sio Chak, no debate sobre as Linhas de Ação Governativa (LAG) para o ano de 2021 na área de Segurança, na Assembleia Legislativa (AL).

"Temos que ver o que aconteceu em Hong Kong", disse, numa referência aos protestos ocorridos em 2019 na região semiautónoma chinesa, adjacente a Macau.

Partidos de Hong Kong queriam vir para Macau e promover ações contra o Estado, o que é preciso "prevenir antes de remediar", disse.

Em resposta a uma pergunta do deputado pró-democracia Sulu Sou relativa à proibição da reunião da Associação Novo Macau para assinalar a data de 04 de junho, do movimento na praça Tiananmen em 1989, Wong Sio Chak que em junho a situação pandémica "ainda não estava estabilizada".

"Quanto à reunião, há um ponto importante que não referiu, na altura estava-se numa situação pandémica e esse é um factor que temos de considerar na autorização, ou não, da reunião ou manifestação", sublinhou.

Por outro lado, considerou existirem "interferências externas que querem influenciar" o Governo e a política de Macau, sublinhando que vários partidos antigoverno ou de Taiwan vieram a Macau. "Temos todos esses casos registados, sabemos quem essas pessoas contactaram em Macau", disse.

Na intervenção inicial do debate, Wong Sio Chak destacou a concretização do "pleno funcionamento do Departamento de Segurança", no início do próximo ano, e continuar a aproveitar projetos de formação juvenil para transmitir a importância da segurança do Estado.

O secretário para a Segurança de Macau garantiu que a sua área "será mais proativa na antevisão e na tomada de decisão" e vai cooperar ativamente "na promoção do estabelecimento do sistema de defesa de segurança nacional".

Wong Sio Chak indicou a necessidade de continuar a realizar ações educacionais, aproveitando "projetos de formação juvenil, campanhas de sensabilização escolares" para transmitir "a importância da segurança do Estado".

Outra ação em destaque foi a proteção civil, com Wong Sio Chak a adiantar que os Serviços de Polícia Unitários (SPU) estão a planear o recrutamento de voluntários para a Proteção Civil, no primeiro trimestre de 2021, estando prevista a introdução de um sistema de gestão de voluntários na Plataforma de Comando para Resposta de Emergências.

Em abril próximo, a proteção civil vai realizar o simulacro 'Peixe de Cristal 2021' para "reforçar a capacidade de comunicação e de colaboração entre a estrutura da proteção e a população" na resposta a tufões.

Também vai caber aos SPU a realização de uma revisão integral do funcionamento das primeiras quatro fases do sistema de vídeovigilância em Macau, denominado "Olhos no Céu", e dar início às quinta e sexta fases do sistema para abranger mais zonas do território.

Finalmente, o responsável salientou que o Gabinete de Informação Financeira (GIF) e o Grupo de Trabalho Específico do Estudo sobre o Fluxo de Capitais continuam a manter a "supervisão apertada sobre a lavagem de dinheiro, financiamento do terrorismo, financiamento à proliferação e sobre a tendência dos movimentos anormais de capitais".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório