Meteorologia

  • 18 JANEIRO 2021
Tempo
MIN 5º MÁX 14º

Edição

Conselho Eleitoral apela à participação em escrutínio sem Guaidó

O Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela (CNE) garantiu hoje que está tudo pronto para as eleições legislativas de 06 de dezembro e apelou aos cidadãos para votarem neste escrutínio, que não contará com a participação da oposição liderada por Juan Guaidó.

Conselho Eleitoral apela à participação em escrutínio sem Guaidó

"Senhoras e senhores, venezuelanos, queremos dizer-vos que tudo está pronto. A única coisa que falta é vocês, com o seu voto, com a sua decisão, para que a 06 de dezembro possamos eleger os parlamentares da Assembleia Nacional", disse à imprensa a presidente da CNE, Indira Alfonzo.

Alfonzo também reiterou que, no dia da votação, os eleitores terão todas as medidas de proteção em vigor contra a covid-19.

O Conselho Eleitoral realizou hoje uma nova auditoria às máquinas de votação, que contou com a presença de professores universitários especialistas na matéria, bem como de representantes dos partidos políticos que participarão nas eleições.

"Avaliámos a instalação, o arranque da máquina como se estivéssemos no dia da votação, o funcionamento do sistema automatizado de identificação e, claro, também o que são os escrutínios, a totalização e a transmissão", acrescentou.

A presidente também apelou às organizações políticas para "completarem" as testemunhas que terão nas mais de 30.000 mesas de voto que serão criadas nesse dia.

Nas eleições de domingo, 20.710.421 de venezuelanos são chamados a votar e, de acordo com as estimativas dos analistas, a abstenção é predominante no panorama político.

A oposição venezuelana, liderada pelo presidente do Parlamento, Juan Guaidó, rejeita as eleições porque, entre outras questões, o Supremo Tribunal de Justiça (TSJ) interveio em vários partidos críticos do Governo e pôs à sua frente antigos militantes que tinham sido expulsos e acusados de corrupção.

As eleições foram também questionadas pela maioria da oposição do país, a Organização dos Estados Americanos (OEA) e a União Europeia (UE), que as consideram como uma "farsa".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório