Meteorologia

  • 28 NOVEMBRO 2021
Tempo
14º
MIN 7º MÁX 14º

Edição

EUA. Há seis estados por determinar, Biden precisa de dois para vencer

Joe Biden conseguiu converter os estados do Wisconsin, do Michigan e deverá reconquistar também o Arizona, segunda as projeções. Neste momento, precisa apenas de 17 delegados para conseguir chegar aos 270 (metade do Colégio Eleitoral mais um, o suficiente para chegar à Casa Branca).

EUA. Há seis estados por determinar, Biden precisa de dois para vencer
Notícias ao Minuto

22:17 - 04/11/20 por Anabela Sousa Dantas 

Mundo Presidenciais nos EUA

A Pensilvânia é um dos grandes motivos de disputa para o presidente norte-americano, nesta altura, porque tem estado a perder vantagem desde o início desta quarta-feira (e ainda falta contar 1,1 milhões de votos) e, claro, porque significa um acréscimo de 20 delegados, o maior número de delegados entre os estados que ainda estão a apurar votos.

Porém, Joe Biden assegurou vitória no Michigan, reconquistando o estado para o partido democrata e recolhendo aqui 16 delegados. De acordo com a CNN e com o New York Times, o candidato democrata eleva assim o seu número no Colégio Eleitoral para 253 Grandes Eleitores, contra 213 de Trump.

Esta vitória num dos chamados 'battleground states' deixa Donald Trump numa posição ainda mais difícil para ganhar as eleições. Sobretudo porque é o segundo estado que o democrata consegue converter de 'red' para 'blue', mais uma vez, segundo as projeções. Já lhe foi atribuída vitória no estado vizinho do Wisconsin (10 delegados).

Estes são os seis estados que ainda não têm um vencedor determinado: Pensilvânia (20 delegados), Georgia (16 delegados), Carolina do Norte (15 delegados), Arizona (11 delegados), Nevada (6 delegados) e Alaska (3 delegados).

Assumindo que Joe Biden está com 253 votos no Colégio Eleitoral, faltam-lhe apenas 17 para chegar aos 270 (metade do Colégio Eleitoral mais um, o suficiente para chegar à Casa Branca). Esses 17 Grandes Eleitores podem chegar com os estados do Arizona e do Nevada, onde o candidato democrata está à frente, com uma vantagem de 3 pontos no primeiro e 0.6 no segundo. Ambos têm 86% dos votos contados.

Donald Trump tem vantagem nos estados da Pensilvânia, Carolina do Norte, Georgia e Alaska. O Alaska tem apenas 56% dos votos contados mas uma grande vantagem para o republicano, ainda que signifique apenas 3 delegados. Tanto a Carolina do Norte como a Georgia também dão vantagem a Donald Trump, ambos com mais de 94% dos votos contados. O principal campo de batalha é, por isso, a Pensilvânia, um 'swing state' cuja contagem de votos pode manter os dois candidatos demasiado próximos para poder determinar um vencedor. A dada altura, Trump tinha uma vantagem bastante larga, mas que tem diminuído esta quarta-feira à medida que se faz a contagem dos últimos votos (sendo que ainda falta apurar mais de 1,1 milhões de boletins). 

O filho do presidente norte-americano recorreu ao Twitter para fazer uma falsa declaração de vitória na Pensilvânia, uma publicação que foi etiquetada pelo rede social como "desinformação", uma vez que ainda não é possível determinar o vencedor neste estado. A tática da campanha republicana, porém, parece ser tentar parar a contagem de votos e lançar dúvida sobre a legitimidade dos resultados. Todos estados onde Biden passou a liderar ou está a encurtar a margem para com o adversário estão a ser alvo de alegações de fraude na contagem de votos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório