Meteorologia

  • 03 DEZEMBRO 2020
Tempo
14º
MIN 8º MÁX 17º

Edição

EUA: Texas supera número de votos de 2016 a quatro dias do sufrágio

O número total de votos no Texas (EUA) superou hoje o de 2016, o que antecipa um recorde de eleitores num Estado que as sondagens dizem poder, pela primeira vez em décadas, optar por um Presidente democrata.

EUA: Texas supera número de votos de 2016 a quatro dias do sufrágio

De acordo com dados oficiais, 53% dos eleitores registados no Texas, um pouco mais de 09 milhões de pessoas, já votaram antecipadamente para eleger o Presidente dos Estados Unidos entre o republicano Donald Trump, que disputa a reeleição, e o democrata Joe Biden, o favorito nas sondagens.

Em 2016, um total de 8,97 milhões de pessoas votaram nas eleições, nas quais Trump prevaleceu sobre a democrata Hillary Clinton, com uma taxa de participação de 59,4%.

Nos últimos quatro anos, o Texas adicionou 1,8 milhão de novos eleitores registados, pelo que a participação ainda está abaixo da de 2016, mas se a tendência de votação continuar, no dia da eleição, na próxima terça-feira, pode exceder os 60%.

Esta seria a primeira vez desde o início da década de 1990 que mais de 60% dos eleitores registados no Texas exerceriam o seu direito de voto, algo ainda mais assinalável, já que o país está no meio de uma pandemia que afeta particularmente a região.

Muitos dos votos por correspondência ainda não foram apurados e os votos foram expressos hoje, 30 de outubro, último dia da votação antecipada.

O Estado não regista a filiação ou preferência do eleitor por um partido, por isso é difícil aferir quem estará a beneficiar do aumento da participação, mas pode significar um maior afluxo de hispânicos, negros e jovens, inclinados para as opções democráticas.

Se assim for, isso complicaria muito as opções de Trump no Texas, um Estado que os republicanos vencem desde as presidenciais de 1980 e que, com 38 grandes eleitores, é o segundo Estado mais decisivo, depois da Califórnia (55), na contagem para obter os 270 votos eleitorais que decidem a presidência.

Se o Texas se inclinasse para Biden, Trump provavelmente perderia a reeleição e abriria uma crise entre os republicanos, que teriam de repensar toda a sua estratégia eleitoral para 2024 e além.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório